Esportes, Italianidade

Italiano campeão

A comunidade italiana de São Paulo está em festa. Nesse domingo (4), o tenista italiano Fabio Fognini venceu o chileno Nicolas Jarry por 1-6; 6-1; 6-4, tornando-se o primeiro atleta peninsular a se sagrar campeão do Brasil Open (ATP de São Paulo), realizado no ginásio do Ibirapuera, na capital paulista.

Além do feito inédito, Fognini consegue quebrar um jejum de 15 anos sem conquistas de atletas italianos em eventos esportivos de relevo internacional realizados na cidade de São Paulo, a maior cidade italiana fora da Itália e que congrega uma legião de ítalo-descendentes.

A última vitória de um italiano na paulicéia aconteceu em 2003, quando o piloto de Formula Um, Giancarlo Fisichella, da equipe Jordan-Ford, conquistou o Grande Prêmio Brasil, em Interlagos.

De lá para cá, inúmeros atletas italianos competiram na cidade, nas mais diversas modalidades e em eventos de grande projeção, mas sempre bateram na trave para alcançar o lugar mais alto do pódio.

Antes do título de Fabio Fognini no ATP de São Paulo, os tenistas italianos haviam chegado a decisão do torneio de simples em três ocaisões. Em 2012, Filippo Volandri ficou com o vice-campeonato ao ser derrotado pelo espanhol Nicolas Almagro. Em 2014, Paolo Lorenzi foi superado pelo argentino Federico Delbonis. Em 2015, Luca Vanni ficou na segunda colocação ao perder para o uruguaio Pablo Cuevas. Nesse mesmo ano de 2015, na disputa do título de duplas, o italiano Paolo Lorenzi junto com o argentino Diego Schwartzman ficaram com a medalha de prata ao serem superados pela dupla colombiana Juan Sebastian Cabal e Robert Farah.

Feitos importantes

Ao longo do tempo, os esportistas italianos proporcionaram bons momentos aos ítalos-descendentes de São Paulo e marcaram seus nomes na história dos principais eventos esportivos promovidos na cidade, aos quais listamos aqui alguns desses feitos:

Em 1993, no ginásio do Ibirapuera, a seleção masculina de voleibol conquistou a medalha de bronze da Liga Mundial de Voleibol, ao vencer a seleção de Cuba por 3 sets a 0.

Em 1983, novamente tendo o ginásio do Ibirapuera como palco, a seleção de basquete adulto masculino da Itália ficou com a medalha de bronze da Copa dos Campeões Mundiais, ao vencer a Argentina.

Em 1978, o pedestrianista Luigi Zarcone foi o campeão da Corrida Internacional do Ibirapuera, realizada na pista de atletismo do Conjunto Constâncio Vaz Guimarães.

Em 1959, o ciclista Luigi Cussigh sagrou-se o campeão da Prova Ciclística 9 de Julho, principal e mais tradicional competição da modalidade no Brasil, realizada nas ruas de São Paulo. Ele foi o único italiano a conquistar tal feito, até hoje.

Em 1935, o pugilista italiano Primo Carnera enfrentou o norte-americando Sean Harris no ringue improvisado no extinto estádio da Chacará da Floresta, em São Paulo, a céu aberto, com mais de seis mil pessoas presentes para acompanhar o combate. Carnera venceu Harris, num dos maiores combates de pugilismo já registrados na capital paulista, até então.

O único atleta italiano a ganhar a tradicional Corrida de São Silvestre foi o pedestrianista Ettore Blasi, bicampeão da prova em 1927 e 1929. A primeira como atleta do Clube Espéria e a segunda defendendo o Palestra Itália (atual Sociedade Esportiva Palmeiras), ambas entidades esportivas da cidade fundadas pela comunidade italiana aqui presente.

O primeiro grande nome do esporte que agitou a comunidade italiana aqui de São Paulo foi o remador Marcellino Marcello, que praticou a modalidade entre 1904 a 1911, no rio Tietê. Sua paixão pelo esporte servia de inspiração a todos os italo-descendentes dos primeiros tempos da imigração. Chegou a ser presidente do Clube Espéria, antes de retornar para a Itália no início dos anos 20.

fognini-palmeiras-2

FORZA AZZURRI!!!

Anúncios
Padrão
Esportes, Italianidade

Itália em Mundiais

A seleção italiana é a equipe europeia que mais conquistou títulos mundiais na história das Copas e fica atrás apenas da Seleção Brasileira em termos da hegemonia de troféus no torneio.

Dirigida pelo técnico Cesare Prandelli, a atual seleção italiana terá um grande desafio logo na primeira fase do Mundial que será realizado no Brasil. Ao lado de Inglaterra, Costa Rica e Uruguai, a Esquadra Azzurra compõe o grupo mais forte da competição, segundo especialistas.

Caso o volante Thiago Motta seja convocado para o Mundial, ele será o quarto ítalo-brasileiro a defender a Seleção Italiana em Copas.  Guarisi (Filó), em 1934, Altafini (Mazzola) e  Sormani, em 1962, foram os outros  ítalos-brasileiros a servirem a nacional italiana.

Confira algumas curiosidades da participação italiana em Mundiais:

Jogos da Itália na 1º fase da Copa do Mundo no Brasil em 2014

14/6 – Itália x Inglaterra – em Manaus
20/6 – Itália x Costa Rica – em Recife
24/6 – Itália x Uruguai – em Natal

Seleção que disputará o Mundial em 2014*

Goleiros: Buffon, Sirigu, Perin
Defensores: Maggio, Chiellini, Criscito, Astori, Barzagli, Pasqual, Bonucci, Abate, Paletta
Meio Campistas: Thiago Motta, Candevra, Marchisio, Florenzi, Parolo, Montolivo, Pirlo, Giaccherini, Verratti
Atacantes: Cerci, Osvaldo, Insigne, Balotelli, Gilardino, Immobile

*Elenco baseado na convocação para a partida amistosa contra a Espanha em 5 de março de 2014, além de Balotelli.

Retrospecto da seleção da Itália em Copas do Mundo

1930 – Não disputou
1934 – Campeã – 5 jogos, 4 vitórias, 1 empate, Gols Pro: 12, Gols Contra: 3
1938 – Campeã – 4 jogos, 4 vitórias, Gols Pro: 11, Gols Contra: 5
1950 – 1 fase – 2 jogos, 1 vitória, 1 derrota, Gols Pro: 4, Gols Contra: 3
1954 – 1 fase – 3 jogos, 1 vitória, 2 derrotas, Gols Pro: 6, Gols Contra: 7
1958 – Não disputou
1962 – 1 fase – 3 jogos, 1 vitória, 1 empate, 1 derrota, Gols Pro: 3, Gols Contra:2
1966 – 1 fase – 3 jogos, 1 vitória, 2 derrotas, Gols Pro: 2, Gols Contra: 2
1970 – Vice-campeã – 7 jogos, 5 vitória, 1 empate, 1 derrota, Gols Pro: 10, Gols Contra: 8
1974 – 1 fase – 3 jogos, 1 vitória, 1 empate, 1 derrota, Gols Pro: 5, Gols Contra: 4
1978 – 4º lugar – 7 jogos, 4 vitórias, 1 empate, 2 derrota, Gols Pro: 9, Gols Contra: 6
1982 – Campeã – 7 jogos, 4 vitórias, 3 empates, Gols Pro: 12, Gols Contra: 6
1986 – Oitavas-de-final – 4 jogos, 1 vitória, 2 empates, 1 derrota, Gols Pro: 5, Gols Contra: 6
1990 – 3º lugar – 7 jogos, 6 vitórias, 1 empate, Gols Pro: 10, Gols Contra: 2
1994 – Vice-campeã – 7 jogos, 4 vitória, 2 empate, 1 derrota, Gols Pro: 8, Gols Contra: 5
1998 – Quartas-de-final – 5 jogos, 3 vitórias, 2 empates, Gols Pro: 8, Gols Contra: 3
2002 – Oitavas-de-final – 4 jogos, 1 vitória, 1 empate, 2 derrota, Gols Pro: 5, Gols Contra: 4
2006 – Campeã – 7 jogos, 5 vitórias, 2 empate, Gols Pro: 12, Gols Contra: 2
2010 – 1 fase – 3 jogos, 2 empates, 1 derrota, Gols Pro: 4, Gols Contra: 5

Jogos: 81
Vitórias: 46
Empates: 20
Derrotas: 15
Gols Pro: 126
Gols Contra: 73
Participações: 17 vezes

Maior Vitória: 27/5/1934 Itália 7×1 Estados Unidos
Maior Derrota: 23/6/1954 Itália 1×4 Suiça e 21/6/1970 Itália 1×4 Brasil
Maiores Artilheiros em Mundiais: Paolo Rossi, Roberto Baggio e Vieri – 9 gols cada
Jogador que mais vezes atuou em Mundiais: Paolo Maldini – 23 jogos

Todos os Goleadores da Itália em Mundiais

1934

Schiavio: 4 (artilheiro da competição)
Orsi: 3
Ferrari: 2
Meazza: 2
Guaita: 1

1938

Piola: 5
Colaussi: 4
Meazza: 1
Ferraris: 1

1950

Carapellese: 2
Muccinelli: 1
Egisto Pandolfini: 1

1954

Boniperti: 1
Egisto Pandolfini: 1
Galli: 1
Lorenzi: 1
Frignani: 1
Nesti: 1

1962

Bulgarelli: 2
Mora: 1

1966

Mazzola: 1
Barison: 1

1970

Riva: 3
Rivera: 2
Boninsegna: 2
Burgnich: 1
Domenghini: 1
Peña (contra): 1

1974

Rivera: 1
Benetti: 1
Anastasi: 1
Fabio Capello: 1
Perfumo (contra): 1

1978

Paolo Rossi: 3
Bettega: 2
Zaccarelli: 1
Benetti: 1
Causio: 1
Brandts (contra): 1

1982

Paolo Rossi: 6 (artilheiro da competição)
Tardelli: 2
Conti: 1
Graziani: 1
Cabrini: 1
Altobelli: 1

1986

Altobelli: 4
Kwang Rae (contra): 1

1990

Schillachi: 6 (artilheiro da competição)
Roberto Baggio: 2
Giannini: 1
Serena: 1

1994

Roberto Baggio: 5
Dino Baggio:2
Massaro: 1

1998

Vieri: 5
Roberto Baggio: 2
Di Biagio: 1

2002

Vieri: 4
Del Piero: 1

2006

Totti: 3
Materazzi: 2
Iaquinta: 1
Pirlo: 1
Gilardino: 1
Inzaghi: 1
Zambrotta: 1
Grosso: 1
Del Piero: 1

2010

De Rossi: 1
Iaquinta: 1
Di Natale: 1
Quagliarella: 1

ImagemImagem

Padrão