Esportes

Reforço Grená

Junior Timbó atuará pela equipe do Clube Atlético Juventus no Campeonato Paulista da Série A-2. Com 26 anos de idade e passagens por equipes como Vitória-BA, América-MG, Chapecoense-SC, Bragantino e Portuguesa de Desportos, o meio campista será uma das opções para o setor do técnico Wilson Júnior no Moleque Travesso.

No futebol paulista, Junior Timbó ficou conhecido pela sua passagem na Lusa do Canindé. Ele fez parte do elenco da “Barcelusa”, campeã brasileira da Série-B em 2011, comandada pelo técnico Jorginho.

Timbó voltou para a Lusa em 2016 para o Campeonato Brasileiro da Série C, mas teve poucas oportunidades. Nessas duas passagens pelo time do Canindé, o jogador fez 14 jogos, marcando quatro gols.

O Juventus estreia na competição contra o Capivariano dia 28, sábado, às 16h, no estádio Conde Rodolfo Crespi, na rua Javari, na Mooca.

Foto: Ale Vianna/DivulgaçãoIMG-20170117-WA0012.jpg

Anúncios
Padrão
Esportes

Juventus estreia em casa

A Federação Paulista de Futebol divulgou a tabela provisória do Campeonato Paulista da Série A-2 em 2017, na manhã dessa quarta-feira (30). Disputam a competição 20 clubes, que jogam entre si em turno único na primeira fase. Os dois primeiros colocados conquistam o acesso à elite do futebol estadual. O campeão ganha também uma vaga na Copa do Brasil de 2018. Os seis últimos colocados serão rebaixados para a Série A3.

A tabela aponta a estreia do Juventus contra o Capivariano no dia 29 de janeiro (domingo), no estádio Conde Rodolfo Crespi, na Rua Javari, na Mooca.

Destaque para o clássico paulista entre Juventus e Portuguesa de Desportos, que está marcado para o dia 22 de março, com mando do time juventino.

Datas e horários estão sujeitos à alterações, devido a demanda da televisão e ajustes do calendário.

Confira os jogos do Moleque Travesso na competição:

Data Jogo Estádio
29/1 Juventus x Capivariano Casa
1/2 Juventus x Água Santa Fora
5/2 Juventus x Penapolense Fora
12/2 Juventus x Votuporanguense Casa
15/2 Juventus x Mogi Mirim Fora
19/2 Juventus x Sertãozinho Fora
25/2 Juventus x Guarani Casa
1/3 Juventus x Bragantino Fora
5/3 Juventus x Rio Preto Casa
12/3 Juventus x São Caetano Fora
19/3 Juventus x Taubaté Casa
22/3 Juventus x Portuguesa Casa
26/3 Juventus x Xv de Piracicaba Fora
29/3 Juventus x Barretos Casa
2/4 Juventus x Velo Clube Fora
9/4 Juventus x Rio Claro Casa
12/4 Juventus x União Barbarense Fora
16/4 Juventus x Batatais Casa
23/4 Juventus x Oeste Fora

juve

Padrão
Esportes

75 Anos da Rua Javari

No próximo dia 13 de julho, o estádio Conde Rodolfo Crespi, casa do Clube Atlético Juventus, completa 75 anos de sua inauguração oficial.

Na obra “Glórias de um Moleque Travesso”, de minha autoria, Angelo Eduardo Agarelli e Vicente Romano Netto, esse momento histórico da vida juventina foi retrato da seguinte forma:

“Com o progresso do futebol cada vez maior, os clubes e a entidade promotora do futebol em São Paulo começaram a atentar pela necessidade de melhores instalações e praças esportivas.

A diretoria do C.A. Juventus não ficou para trás e tratou de trabalhar neste sentido. A grande benfeitoria prevista para o estádio da Rua Javari com a construção de novas arquibancadas e vestiários iniciada em 1937 teve a sua conclusão 4 anos mais tarde.

No dia 13/07/1941 o C.A. Juventus promoveu a cerimônia inaugural do seu novo estádio. Manoel Vieira de Souza, Vice-Presidente do clube, fez um inflamado discurso para os presentes. Inúmeras personalidades da vida política, social e esportiva da cidade estiveram presentes.

Como parte das festividades o Moleque Travesso convidou o Ypiranga, o SPR (atual Nacional-SP) e o Corinthians para um festival esportivo de inauguração do Estádio. Como partida preliminar, em disputa da Taça Juventus, jogaram Ypiranga x SPR. Os ipiranguistas venceram por 1 a 0, gol marcado por Miguelzinho que entrou para a história da Rua Javari como o autor do primeiro gol do novo estádio.

Na partida principal enfrentaram-se Juventus e Corinthians. O placar do jogo terminou em 3 x 1 em favor dos alvi-negros. Ferrari de penâlti fez o primeiro gol juventino em sua nova casa. Os gols corintianos foram marcados por: Carlinhos, Servilio e Teleco.

A equipe do bairro da Mooca foi a seguinte: Roberto (G), Guimarães, Sordi (Ditão), Paulo, Sábia, Nico II (Laurindo), Oswaldinho, Ferrari, Jair (Renato), Walter, Robertinho. Técnico: Raul da Rocha Soares

O Corinthians jogou com: Rato (G), Agostinho, Chico Preto, Jango, Pelliciari, Dino, Tite, Servílio, Teleco, Joane, Carlinhos.

Baseado na volumosa arrecadação estimou-se que estiveram presente ao novo Campo do Juventus cerca de 15.000 espectadores. Um recorde absoluto!

De acordo com o que estabelecia o planejamento inicial, o novo estádio deveria ser batizado com um nome escolhido pelo Presidente Honorário ou Efetivo do clube. Inicialmente, foi decidido que o nome seria ESTÁDIO CONDE ADRIANO CRESPI. Tal designação perdurou por curto e breve período, sendo este alterado meses depois por determinação do próprio Conde Adriano Crespi para ESTÁDIO CONDE RODOLFO CRESPI, o qual permanece até os dias de hoje.”

Números do Juventus em toda a história na Rua Javari:

Jogos: 1136
Vitórias: 570
Empates: 281
Derrotas: 285
Gols Pró: 1935
Gols Contra: 1371

*** Atualizado até 30/3/2016 Juventus 1×0 União Barbarense                 
*** Não constam nessas estatísticas as partidas amistosas     

inauguração da rua javari 1941

CAPA DO JORNAL A GAZETA ESPORTIVA EM 14 DE JULHO DE 1941

juve

Padrão
Esportes

Faltou gols. Sobrou emoção

O Clube Atlético Juventus abriu a temporada de 1986 dando volta olímpica  no estádio municipal do Pacaembu. Contra todos os prognósticos, o time da Mooca faturava pela primeira vez o título de campeão Torneio Início do Campeonato Paulista, no dia 16 de fevereiro daquele ano.

Para aquela temporada, o Juventus fugiu a sua regra habitual, abriu os cofres e investiu um alto valor nas contratações do goleiro Barbirotto (ex-São Paulo), do zagueiro Juninho (ex-Corinthians), do volante Rocha e do atacante Reinaldo Xavier (ambos ex-Palmeiras).

O veterano meia Mario Sergio, que aos 36 anos se desligava do Palmeiras, também recebeu uma proposta juventina, mas recusou-se a atuar pelo Moleque Travesso, frustrando as expectativas dos torcedores avinhados.

No comando do time juventino estava o treinador Candinho, que havia retornado ao clube em 1985, após ter sido Campeão Brasileiro da Série B em 1983 com o próprio Juventus.

Para variar, Palmeiras, São Paulo, Santos e Corinthians entraram como favoritos. Lino e Mirandinha eram as novas caras do Verdão para acabar com o jejum de títulos que perdurava nove anos.

No Peixe, o arqueiro Rodolfo Rodriguez era o grande líder do time, que apresentava como novidade o japonês Kazuo na ponta esquerda. No Timão, o volante Wilson Mano e o zagueiro Edivaldo faziam suas estreias. No Tricolor, o volante Bernardo e o lateral Capone eram os novos valores.

O Juventus foi campeão de maneira inusitada, sem marcar e nem sofrer nenhum gol. Mas nem por isso faltou emoção e festa. O Pacaembu aplaudiu de pé o time grená. A TV Bandeirantes, promotora da competição, transmitiu ao vivo as partidas. O troféu ao campeão levou o nome da ACEESP (Associação dos Cronistas Esportivos do Estado de São Paulo).

A estreia aconteceu diante da Internacional de Limeira. Empate em 0 a 0 e vitória juventina por 3 a 2 nos escanteios. O segundo jogo foi diante do São Paulo. Novo empate em 0 a 0 e vitória juventina por 1 a 0 nos escanteios. A terceira partida foi contra o São Bento de Sorocaba. Após empatar em 0 a 0 (no placar e nos escanteios), a partida foi decidida nas penalidades máximas. O Juventus venceu por 5 a 3 e garantiu vaga na final contra o Santo André.

O time do ABC Paulista tinha como padrinho o bicheiro Ivo Noal, que contratou o experiente zagueiro Luís Pereira para ser o xerifão e o grande líder do Ramalhão, junto com o lateral esquerdo Wladimir, ex-Corinthians, entre outros jogadores.

Num jogo truncado, a partida terminou em 0 a 0. Nenhum escanteio para ninguém. Decisão por pênaltis. Barbirotto pegou uma cobrança. Juninho marca o penal decisivo. Vitória grená por 4 a 3. Delírio na Mooca! Juventus Campeão

“Vai ser difícil segurar o Juventus esse ano”, disse um eufórico Rocha. “Provei meu valor e fui feliz”, desabafou o goleiro Barbirotto. “Ano novo, vida nova”, bradou o herói Juninho.

Barbiroto (G), Chiquinho, Juninho, Nenê, Carlão, Rocha, Heriberto, Gatãozinho, Claudinho, Reinaldo Xavier, Betinho. Foi o time base utilizado pelo técnico Candinho. Zelito e Henrique também atuaram.

De fato, o Campeonato Paulista de 1986 ainda reservava mais uma grande alegria para os torcedores grenás. Foi no torneio que o Juventus aplicou a maior goleada diante do São Paulo F.C., na história dos confrontos. A partida aconteceu no estádio do Pacaembu, no dia 17 de abril, o o Moleque Travesso venceu por 4 a 0 o Tricolor. Claudinho, Raudinei e Gatãozinho (2) foram os autores dos gols juventinos.

Há 30 anos, o tradicional e romântico Torneio Início era do Moleque Travesso!

juve

*** Uma sugestão:  Justamente no próximo dia 24 de fevereiro de 2016 o Juventus enfrenta o mesmo Santo André na Rua Javari pelo Paulista da A-2. Seria fantastico se a diretoria do clube fizesse alguma homenagem aos atletas daquela conquista no inrtevalo desse jogo, por exemplo. Ou alguma ação ou referência na camisa de jogo para recordar essa grande conquista

Padrão
Esportes

58 anos depois…

A Mooca está em festa! O Moleque Travesso venceu o clássico contra a Lusa no Canindé pelo placar de 1 a 0, em jogo válido pelo Paulista A-2, e pôs fim a um jejum de 58 anos sem vencer o seu tradicional rival em sua casa em partidas oficiais!

Um jogo histórico que será lembrado por toda gente grená! Os juventinos invadiram o Oswaldo Teixeira Duarte, lotaram o setor visitante, e vibraram do começo ao fim, empurrando o avinhado para uma vitória maiúscula.

Gerações de juventinos esperavam por esse momento. E ele chegou aos 20 minutos quando Adriano Paulista, um héroi improvável, acertou um chute rasteiro quase do meio de campo no canto direito do goleiro luso para entrar para história.

A Lusa foi valente e lutou até o fim, mesmo com uma limitação técnica de dar dó. O Juventus foi inteligente e soube se defender à la Buzzetto. A hora passava no relógio. E quando o árbitro apitou o fim de jogo a explosão de alegria! Abraços. Choros. Gritos. Uma loucura.

Um feito que não acontecia desde os tempos do craque Buzzone e do professor Clóvis!  Uma vitória que fortalece a alma juventina e faz sonhar a todos os grenás com dias mais iluminados.

A euforia toma conta de quem esteve lá nas arquibacandas acompanhando a própria história sendo escrita. Os mais racionais recomendariam cautela e calma, afinal é só a segunda rodada do torneio.

Mas para o apaixonado e romântico torcedor, nada e nem ninguém tira a felicidade e o sorrisso do rosto do juventino. Como manda a tradição, o vinho e a pizza foram o banquete da comemoração noite à dentro, ao som da Tarantella e das gargalhadas juvenis.

A noite de quarta-feira 3 de fevereiro de 2016 será eterna!

A noite de quarta-feira 3 de fevereiro de 2016 será para todo sempre GRENÁ!

Obrigado a cada um dos heróis juventinos dessa noite mágica: André Dias (G), Rafael Ferro, André Astorga, Diego Borges, Paulo Vitor (Renan Oliveira), Felipe Nunes, Derli, Adriano Paulista, Adiel (Elder Granja), Nathan, Léo Souza (Diogo Oliveira). Técnico: Rodrigo Santana.

Nunca o sentimento entoado no cântico da fanática torcida juventina esteve tão latente e vivo no coração de cada um: VOLTAREMOS!

juve

VIVA O MOLEQUE TRAVESSO!!!

VIVA A MOOCA QUERIDA!!!

Padrão
Esportes

Juventus x Lusa

O clássico paulistano entre Juventus e Portuguesa de Desportos é a partida mais aguardada pelos juventinos nessa temporada. O jogo acontece no estádio do Canindé, na quarta-feira, dia 3 de fevereiro, às 20h, válido pela segunda rodada do Campeonato Paulista da Série A-2.

No fim de semana, o time de Mooca venceu a Penapolense na estreia do estadual por 1 a 0, na Javari. Os lusos ficaram no empate em 0 a 0 contra o Barretos, fora de casa.

Esse tradicional confronto acontece pela segunda vez na história do Paulistão da Série A-2. Em 2013, no mesmo estádio do Canindé, a Lusa venceu o Moleque Travesso por 2 a 1.

Em toda a história dos estaduais, juventinos e lusos jogaram 22 partidas no estádio Oswaldo Teixeira Duarte, com amplo domínio dos donos da casa. A lusa venceu 17 vezes, com três empates e apenas uma vitória grená.

Esse único triunfo juventino aconteceu no dia 23 de julho de 1958. Confira ficha técnica do jogo:

Juventus 3×2 Portuguesa – Campeonato Paulista
Juventus: Nenê (G), Donald, Cotia, Cássio, Clóvis, Pando, Buzzone, Zeola, Viana, Parobé, Lanza. Técnico: Libero Golinelli
Portuguesa: Carlos Alberto, Djalma Santos, Ditão, Jutis, Bauer, Odorico, Hermínio, Ipojucan, Alfeu, Ocimar e De Carlo. Técnico: Flávio Costa.
Gols: Buzzone, Zeola (2) (JUV); Herminio, Alfeu (POR)

Entre as partidas marcantes na história do confronto no estádio luso, destaque para o primeiro jogo em competição oficial da Portuguesa de Desportos como proprietária do Canindé. A partida aconteceu em 9 de dezembro de 1956. A Lusa venceu o Juventus pelo placar de 2 a 0, pelo Campeonato Paulista.

Eis a ficha do jogo:

Juventus 0x2 Portuguesa – Campeonato Paulista
Juventus: Villera (G), Ditão, Diogenes, Ademar, Riogo, Bonfiglio, Zeola, Dorval, Orlando, Tito, Rodrigues. Técnico: Alfredo Gonzalez
Portuguesa: Cabeção, Hermínio, Floriano, Reinaldo, Julião, Zinho, Amaral, Ipojucan,Liminha, Edmur e Nelsinho. Técnico: Maurício Cardoso.
Gols: Liminha e Nelsinho (POR)

Uma das partidas inesquecíveis para a torcida juventina ocorridas no Canindé contra a Lusa foi no dia 18 de fevereiro de 1973. O time rubro-verde ostentava uma invencibilidade de 15 jogos e mais de um ano em seu estádio. A última derrota havia sido contra o Benfica-POR, por  3 a 1 no dia 9 de janeiro de 1972.

Perante cerca de cinco mil pessoas, o Moleque Travesso foi convidado pelos lusos para um amistoso de preparação nas vésperas da estreia do Campeonato Paulista. Num clima nada “amistoso”, Milton Buzzetto armou a sua tradicional retranca e brecou o poderoso ataque lusitano.

Aos cinco minutos do segundo tempo, após um bate-rebate na área da Lusa, a bola sobrou para o lateral-direito juventino Chiquinho, que quase na marca do pênalti, fuzilou para as redes de Miguel, marcando o gol da vitória juventina e a quebra da invencibilidade. Dez minutos depois, Dicá e Chiquinho foram expulsos de campo, pelo árbitro Almir Ricci Peixoto Laguna, após desentendimento.

Confira a ficha dessa partida:

Juventus 1×0 Portuguesa – Amistoso
Juventus: Bernardino (G), Chiquinho, Paulo, Oscar, Deodoro, Maurinho, Brida, Luis Antonio (Tadeu), Adinan, Vanderley (Tanese), Ziza. Tecnico: Milton Buzzetto
Portuguesa: Miguel (G), Cardoso,Calegari, Isidoro, Santos (Raimundo), Badeco, Dicá, Xaxá, Tatá (Maurício), Basílio e Da Costa. Técnico: Cilinho
Gol: Chiquinho (JUV)

Considerando jogos oficiais e amistosos, a última vitória juventina no estádio do Canindé aconteceu em 19 de novembro de 1981, em um amistoso, onde o Moleque Travesso bateu os donos da casa pelo placar de 2 a 0.

Confrontos no Canindé em Paulistas da Série A-1 e A-2:

Jogos: 22
Vitórias: 01
Empates: 03
Derrotas: 18

Confrontos Gerais em Paulistas da Série A-1 e A-2:

Jogos: 120
Vitórias: 25
Empates: 30
Derrotas: 65

Alguns dos Atletas que defenderam as duas camisas:

Alex Alves – atacante
Nome Completo: Alexandro Alves Ferreira
Grande herói da Portuguesa em 2006 quando livrou o time do rebaixamento para a Série C do Brasileiro. No Juventus, se tornou o primeiro artilheiro da história do clube no Campeonato Paulista da Série A-1, em 2002.

Caxambu – goleiro
Nome Completo: Helio Geraldo Caxambu
Foi um dos primeiros grandes goleiros da história da Lusa, atuando por 129 jogos. Encerrou a sua gloriosa carreira defendendo o Juventus. Foi o fundador e idealizador dos Sindicato dos Atletas Profissionais do Estado de São Paulo (SAPESP).

Deodoro – zagueiro
Nome Completo: Deodoro José de Almeida Leite
Começou a carreira de jogador na Lusa. É o recordista  de jogos oficiais com a camisa juventina em Campeonato Paulista com 356 partidas disputadas.

Ditão – zagueiro
Nome Completo: Geraldo Freitas do Nascimento
Iniciou a carreira no Juventus em 1955, onde ficou até o fim de 1958. Transferiu-se para a Lusa onde fez 402 jogos e marcou 12 gols.

Johnson – atacante
Nome Completo: Johnson Monteiro Pinto Macaba
O centroavante de origem angolana ganhou destaque na campanha juventina no Campeonato Paulista da Série A-2 em 2005, quando o Moleque Travesso sagrou-se campeão, voltando para a elite do Estadual. Pela Lusa fez 34 jogos e marcou 7 gols.

Julinho Botelho – atacante
Nome Completo: Julio Botelho
Revelado para o futebol profissional no Juventus, Julinho ganhou fama de craque atuando pela Lusa. Com a camisa rubro-verde fez 182 jogos e marcou 90 gols, sendo figura de destaque no título lusitano do Torneio Rio São Paulo nos anos 50.

Oswaldinho – atacante
Nome Completo: Oswaldo Buzzoni
Formado nas categorias de base do Juventus era um goleador. Pela Lusa fez 100 jogos e marcou 38 gols.

Pinga I – atacante
Nome Completo: José Lazaro Robles
Mais um craque que iniciou no futebol nas fileiras juventinas. Tornou-se o maior artilheiro da história da Portuguesa de Desportos atuando em 270 jogos e anotando 202 gols.

Pinga II – atacante
Nome Completo: Arnaldo Robles
Seguiu os mesmos passos do seu irmão José Lazaro Robles. Começou no Juventus e pela Lusa fez 97 jogos e marcou 35 gols.

Renato – meia
Nome Completo: Renato Violani
Meia armador de grande qualidade, marcou época no Juventus e imortalizou-se numa das linhas ofensivas mais lembradas na história lusitana nos anos 50. Com a camisa da Portuguesa fez 306 jogos e marcou 112 gols.

Leiz – zagueiro
Nome Completo: Leiz Antônio Mendes da Cunha
Profissionalizou-se no Clube Atlético Juventus no fim dos anos 70 e foi apontado como um dos maiores jogadores da sua posição. Transferiu-se para a Portuguesa onde ganhou projeção a ponto de defender a seleção brasileira

Felix – goleiro
Nome Completo: Félix Miéli Venerando
Começou nas categorias de base do Juventus. Rapidamente, chamou a atenção dos dirigentes da Lusa que o contrataram ainda garoto. Foi o goleiro campeão do mundo com a seleção brasileira em 1970.

Candinho – técnico
Nome Completo: José Candido Sotto Maior
Foi Campeão Brasileiro da Série B pelo Juventus em 1983.  Em 1996 levou a Lusa ao vice-campeonato brasileiro, na melhor campanha lusitana de sua história.

Edu Marangon – técnico
Nome Completo: Carlos Eduardo Marangon
Iniciou sua carreira de jogador na Lusa nos anos 80, sendo vice-campeão paulista em 1985. Passou por diversos clubes e ao encerrar a carreira, dedicou-se a ser técnico. No comando do Juventus, conduziu o time da Mooca ao título do Campeonato Paulista da Série A-2 em 2015.

Confira dois vídeos marcantes da história desse clássico:

Juventus 3×2 Portuguesa – Campeonato Paulista 2008

https://www.youtube.com/watch?v=9qQ1EXkX4NU

Juventus 1×2 Portuguesa – Campeonato Paulista A-2 2013

https://www.youtube.com/watch?v=r7A65FAdj1A

juve

FORZA JUVE!!!

Padrão
Esportes

Juventus na Série A-2

Em 2016 será a décima primeira vez que o Juventus disputa o Campeonato Paulista da Divisão de Acesso (hoje denominado Série A-2). A primeira participação do Moleque Travesso aconteceu em 1928 e de lá para cá, a equipe avinhada foi campeã em 1929 e 2005 e vice-campeã em 1994.

Na edição de 1994 o atacante juventino Cuca terminou como o artilheiro do torneio, sendo a única vez que um jogador do time da Mooca conquistou tal feito na disputa.

O Juventus faz a sua estreia no torneio no dia 31 de janeiro, um domingo, contra a Penapolense no estádio Conde Rodolfo Crespi, no bairro da Mooca.

A fanática torcida grená sonha com o acesso à elite do Estadual, onde o Juventus está afastado desde 2008, amargando seu maior calvário sem participações na série principal do futebol paulista de toda a sua gloriosa história.

O clássico contra a Portuguesa de Desportos é a partida mais aguardada pelos juventinos nessa temporada. O jogo está previsto para o estádio do Canindé, no dia 3 de fevereiro, válido pela segunda rodada.

Esse tradicional confronto acontece pela segunda vez na história do Paulistão da Série A-2. Em 2013, no mesmo estádio do Canindé, a Lusa venceu o Moleque Travesso por 2 a 1.

O meia atacante Rafael Branco é o único atleta juventino do atual elenco que disputou a Série A-2 pelo clube em 2013.

O técnico Rodrigo Santana permanece no comando do time. Boa parte dos jogadores que estavam no ano passado seguem no Juventus, entre eles: André Dias e Rafael (goleiros), Astorga, Victor Salinas e Borges (zagueiros), Derli e Fellipe Nunes (volantes), Ferro (lateral), Adiel (meia) e Santiago (atacante). Além deles, os atacantes Gil e Nathan, também defenderão a camisa juventina.

O departamento de futebol profissional também confirmou a contratação de outros quatros jogadores. Itacaré (atacante/ex-Serrano–BA), Murilo Silva (lateral-direito/ex-Novo Hamburgo-RS), Adriano Paulista (meia/ex-Volta Redonda-RJ) e Diogo Oliveira (volante/ex-Operário-PR).

Confira os jogos do Juventus na competição:

Data Jogo Local
31/1 Juventus x Penapolense Rua Javari
3/2 Juventus x Portuguesa Canindé
6/2 Juventus x Velo Clube Rua Javari
10/2 Juventus x Monte Azul Monte Azul
14/2 Juventus x Rio Branco de Americana Rua Javari
17/2 Juventus x Batatais Batatais
21/2 Juventus x Independente de Limeira Limeira
24/2 Juventus x Santo André Rua Javari
28/2 Juventus x Atlético Sorocaba Sorocaba
2/3 Juventus x São Caetano Rua Javari
6/3 Juventus x Mirassol Rua Javari
9/3 Juventus x Barretos Barretos
13/3 Juventus x Marília Rua Javari
16/3 Juventus x Paulista de Jundiaí Jundiaí
20/3 Juventus x Taubaté Rua Javari
23/3 Juventus x Guarani de Campinas Campinas
27/3 Juventus x Votuporanguense Votuporanga
30/3 Juventus x União Barbarense Rua Javari
3/4 Juventus x Bragantino Bragança

Números Gerais do Juventus no Paulista A-2

Jogos: 228
Vitórias: 102
Empates: 50
Derrotas: 76
Gols Pró: 385
Gols Contra: 318
Maior goleada a favor: 30/4/2005 Juventus 8×1 Matonense
Maior goleada sofrida: 31/3/2013 Juventus 0x7 Comercial de Ribeirão Preto

Retrospecto dos Confrontos

Portuguesa de Desportos
Jogos: 120
Vitórias: 25
Empates: 30
Derrotas: 65

Guarani de Campinas
Jogos: 91
Vitórias: 26
Empates: 15
Derrotas: 50

Bragantino
Jogos: 22
Vitórias: 07
Empates: 03
Derrotas: 12

Santo André
Jogos: 32
Vitórias: 10
Empates: 8
Derrotas: 14

Marília
Jogos: 40
Vitórias: 20
Empates: 09
Derrotas: 11

Paulista de Jundiaí
Jogos: 24
Vitórias: 06
Empates: 09
Derrotas: 09
*** Nos anos 2000 o Paulista também denominou-se Etti Jundiaí

São Caetano
Jogos: 10
Vitórias: 02
Empates: 01
Derrotas: 07

Rio Branco de Americana
Jogos: 18
Vitórias: 05
Empates: 05
Derrotas: 08

Taubaté
Jogos: 34
Vitórias: 15
Empates: 12
Derrotas: 07

Atlético Sorocaba
Jogos: 02
Vitórias: 01
Empates: 0
Derrotas: 01

União Barbarense
Jogos: 04
Vitórias: 03
Empates: 01
Derrotas: 0

Batatais
Jogos: 02
Vitórias: 01
Empates: 01
Derrotas: 0

Monte Azul
Jogos: 02
Vitórias: 0
Empates: 0
Derrotas: 02

Velo Clube
Jogos: 05
Vitórias: 03
Empates: 01
Derrotas: 01

Independente de Limeira
Jogos: 02
Vitórias: 0
Empates: 01
Derrotas: 01

Penapolense
Jogos: 03
Vitórias: 0
Empates: 03
Derrotas: 0

Votuporanguense
Jogos: 04
Vitórias: 02
Empates: 0
Derrotas: 02

Barretos
Jogos: 02
Vitórias: 01
Empates: 01
Derrotas: 0

Mirassol
Jogos: 05
Vitórias: 01
Empates: 02
Derrotas: 02

*** Números em confrontos válidos apenas em Campeonatos Paulistas das Séries A-1, A-2 e A-3

juve

FORZA JUVE!!!

Padrão