Esportes

Artilheiro na Mooca

Com experiência no futebol paulista, o atacante Jorge Mauá quer fazer história com a camisa do Juventus. O camisa 9 ficou mais conhecido do torcedor juventino quando defendia o Nacional Atlético Clube. Em três clássicos realizados entre as equipes em 2015, o jogador anotou três gols a favor dos nacionalinos.

“Não sabia da importância e dimensão do clássico Juvenal, até jogá-lo. Foram jogos marcantes e que mobilizou muito os torcedores e os clubes. Isso é bem bacana. Aqueles gols foram importantes na minha carreira. Agora, quero marcar muitos gols defendendo o Juventus e dar alegrias a essa torcida”, falou Mauá.

Recentemente, no jogo-treino contra o Nacional, na rua Javari, pelo Juventus, o atacante deixou sua marca na goleada juventina por 4 a 0. “Foi muito bom. Comecei essa temporada fazendo gols e encerrei marcando. Estou muito feliz aqui no Juventus. Fui muito bem recebido e sinto que aqui é uma grande família. Quero colaborar para que possamos fazer um bom campeonato”, avaliou.

Sobre atuar na rua Javari, ele diz estar realizando um sonho. “Sei da força da torcida juventina. Incentiva do começo ao fim. Não vejo a hora de entrar na Javari lotada e sentir o apoio dos nossos torcedores”, concluiu.

Segundo o site da Federação Paulista de Futebol, Jorge Mauá anotou 24 gols por clubes paulistas na temporada 2016, sendo o maior artilheiro paulista do ano passado, somando apenas os gols por clubes do Estado. Foram sete gols no Paulista A-2 atuando pelo Taubaté e 17 gols pela Mauaense, onde foi vice-artilheiro do Campeonato Paulista da Segunda Divisão.

No jogo-treino contra o Audax, vice-campeão Paulista da Série A-1, na tarde de quarta-feira (18), em Sorocaba, Jorge Mauá deixou sua marca, no empate em 2 a 2.
Foto Ale Vianna/Divulgação32391376655_03ca5bee47_k

Anúncios
Padrão
Esportes

Reforço Grená

Junior Timbó atuará pela equipe do Clube Atlético Juventus no Campeonato Paulista da Série A-2. Com 26 anos de idade e passagens por equipes como Vitória-BA, América-MG, Chapecoense-SC, Bragantino e Portuguesa de Desportos, o meio campista será uma das opções para o setor do técnico Wilson Júnior no Moleque Travesso.

No futebol paulista, Junior Timbó ficou conhecido pela sua passagem na Lusa do Canindé. Ele fez parte do elenco da “Barcelusa”, campeã brasileira da Série-B em 2011, comandada pelo técnico Jorginho.

Timbó voltou para a Lusa em 2016 para o Campeonato Brasileiro da Série C, mas teve poucas oportunidades. Nessas duas passagens pelo time do Canindé, o jogador fez 14 jogos, marcando quatro gols.

O Juventus estreia na competição contra o Capivariano dia 28, sábado, às 16h, no estádio Conde Rodolfo Crespi, na rua Javari, na Mooca.

Foto: Ale Vianna/DivulgaçãoIMG-20170117-WA0012.jpg

Padrão
Esportes

Juve goleia na Copinha

Na tarde de sexta-feira (6), o Moleque Travesso goleou o Sete de Setembro-AL pelo placar de 4 a 1, em jogo válido pela segunda rodada da Copa São Paulo de Futebol Júnior, no estádio Conde Rodolfo Crespi, na rua Javari.

Os gols juventinos foram marcados por: Barretos (2), Motta e Carlão. Com a vitória, o time juventino garantiu vaga para a próxima fase da competição, com uma rodada de antecipação, com seis pontos ganhos em dois jogos.

O adversário do Time da Mooca sairá do Grupo 27 formado por: Grêmio Osasco, Interporto-TO, Fluminense-RJ e Real Noroeste-ES

Barreto, camisa 6 do Moleque Travesso, abriu o placar aos 23 minutos da primeira etapa. Dando uma de centroavante, o lateral-esquerdo juventino aproveitou o desvio de cabeça do zagueiro Luiz Carlos no escanteio para balançar as redes adversárias.

Controlando as ações, o Juventus garantiu a vitória parcial e foi para os vestiários vencendo por 1 a 0.

Aos 24  minutos da segunda etapa, o árbitro marcou penalidade máxima contra os grenás. Maxmiller converteu a  cobrança e empatou a partida. Dois minutos depois, a resposta foi imediata. Novamente Barreto foi às redes. Ele desviou a cobrança de falta, colocando o Juventus em vantagem novamente.

O terceiro e quarto gols juventinos foram marcados já nos acréscimos. Carlão, aos 48 minutos, aproveitou o contra-ataque puxado por Dener e deixou sua marca. Aos 50 minutos, Motta tocou na saída do goleiro e deu números finais a partida.

O Juventus volta a campo pela última rodada da primeira fase no domingo (8), às 16h, contra o Figueirense-SC, no estádio da rua Javari, com entrada franca. O time grená lutará para se manter na liderança do Grupo.

img-20170106-wa0008

Fotos: Ale Vianna/ Divulgação C.A. Juventus

Padrão
Esportes

Juventus na Copinha

Na tarde de quarta-feira (4), às 14h, o Juventus faz a sua estreia na Copa São Paulo de Futebol Júnior diante da Portuguesa de Desportos, no estádio Conde Rodolfo Crespi, na rua Javari, na Mooca, com entrada franca.

Os grenás lutam pelo seu segundo título na competição. A primeira conquista dos avinhados aconteceu em 1985. Em outras três ocasiões o Juventus foi às finais, sagrando-se Vice-Campeão da Copinha em 1989, 1990 e 2000.

Na história

Essa será a sexta vez que Juventus e Portuguesa de Desportos se enfrentam na história da Copa São Paulo. Em cinco jogos, foram duas vitórias do time da Mooca e três empates, com sete gols marcados e três gols contra.

Em 1989 os dois times se enfrentaram na semifinal da competição. Após empate em 0 a  0, o Juventus se classificou para a final ao bater a Lusa nos pênaltis por 3 a 1.

O último confronto aconteceu em 2006, em Taubaté, quando o Moleque Travesso venceu o rival por 3 a 1, em jogo válido pela segunda fase da competição.

Baixe aqui o Press Kit com toda a história do C.A.Juventus na Copa São Paulo:

Press Kit – Juventus – Copa São Paulo Futebol Júnior

juve

Padrão
Esportes

Técnicos no Juventus

Dono de uma das maiores rivalidades do futebol mundial, os atuais treinadores de Palmeiras e Corinthians possuem história no Clube Atlético Juventus.

Eduardo Baptista e Fábio Carille vestiram a camisa grená em suas carreiras como jogadores de futebol. Ambos atuaram na posição de zagueiro em suas passagens pela rua Javari.

O novo comandante do alviverde chegou à final da Copa São Paulo de Futebol Júnior em 1990 defedendo o time da Mooca. Na ocasião, o Juventus cumpriu uma excelente campanha, sendo superado apenas na final da competição pelo Flamengo-RJ por 1 a 0 no estádio do Pacaembu.

“Comecei na Ponte Preta até os 18 anos e fui para o Juventus, onde fiquei dois anos. Participei do grupo da Copa São Paulo de Futebol Júnior de 1990, em que perdemos para o Flamengo de Djalminha, Junior Baiano, Marcelinho Carioca e Paulo Nunes. O nosso time tinha Anderson Lima e Fernando Diniz, e demos um trabalho danado para eles, perdemos por apenas 1 a 0. Eles suaram sangue para vencer a gente. Eu era reserva do Sangaletti”, declarou Eduardo Baptista em entrevista concedida ao site da ESPN.com.br para os jornalistas Antônio Strini e Vladimir Bianchini, no dia 15 de março de 2015.

Já o treinador alvinegro jogou pelo Moleque Travesso de 2002 a 2004. Nesse período, ele defendeu a equipe profissional em 26 jogos e marcou um gol, justamente na vitória grená diante do Mogi Mirim por 2 a 1, no estádio Wilson de Barros, em Mogi Mirim, no dia 31 de janeiro de 2002, pelo Campeonato Paulista Série A-1.

Carille atuava com o seu primeiro nome: Fábio Luiz. Sua estreia aconteceu no dia 20 de janeiro de 2002, no empate em 2 a 2 com o Ituano, no estádio da rua Javari.

No Paulistão de 2002, que não contou com a participação das equipes do Corinthians, Guarani, Palmeiras, Paulista de Jundiaí, Ponte Preta, Portuguesa, Santos, São Caetano e São Paulo, o Juventus terminou na 4º colocação, sendo uma das melhores posições alcançadas no estadual de sua história.

Na foto, Fábio Carille é o terceiro atleta em pé, da direita para a esquerda.

Foto: Acervo Pessoal/Reproduçãofabio-carille-2002

Padrão
Esportes

Juventus estreia em casa

A Federação Paulista de Futebol divulgou a tabela provisória do Campeonato Paulista da Série A-2 em 2017, na manhã dessa quarta-feira (30). Disputam a competição 20 clubes, que jogam entre si em turno único na primeira fase. Os dois primeiros colocados conquistam o acesso à elite do futebol estadual. O campeão ganha também uma vaga na Copa do Brasil de 2018. Os seis últimos colocados serão rebaixados para a Série A3.

A tabela aponta a estreia do Juventus contra o Capivariano no dia 29 de janeiro (domingo), no estádio Conde Rodolfo Crespi, na Rua Javari, na Mooca.

Destaque para o clássico paulista entre Juventus e Portuguesa de Desportos, que está marcado para o dia 22 de março, com mando do time juventino.

Datas e horários estão sujeitos à alterações, devido a demanda da televisão e ajustes do calendário.

Confira os jogos do Moleque Travesso na competição:

Data Jogo Estádio
29/1 Juventus x Capivariano Casa
1/2 Juventus x Água Santa Fora
5/2 Juventus x Penapolense Fora
12/2 Juventus x Votuporanguense Casa
15/2 Juventus x Mogi Mirim Fora
19/2 Juventus x Sertãozinho Fora
25/2 Juventus x Guarani Casa
1/3 Juventus x Bragantino Fora
5/3 Juventus x Rio Preto Casa
12/3 Juventus x São Caetano Fora
19/3 Juventus x Taubaté Casa
22/3 Juventus x Portuguesa Casa
26/3 Juventus x Xv de Piracicaba Fora
29/3 Juventus x Barretos Casa
2/4 Juventus x Velo Clube Fora
9/4 Juventus x Rio Claro Casa
12/4 Juventus x União Barbarense Fora
16/4 Juventus x Batatais Casa
23/4 Juventus x Oeste Fora

juve

Padrão
Esportes

Tradição Juventina

O Clube Atlético Juventus inicia a montagem do seu elenco de futebol profissional que disputará o Campeonato Paulista da Série A-2. Na última semana o primeiro reforço apresentado foi o goleiro Deola que, entre outros clubes, defendeu as cores do Palmeiras.

Consciente ou inconscientemente, os mandatários grenás resgatam uma longa tradição de possuir em suas fileiras a camisa 1 do time da Mooca sendo defendida por arqueiros com passagens pelo alviverde de Parque Antártica.

Em 1930, Zeca, suplente palestrino na conquista do Tricampeonato Paulista de 32-33-34, chegou ao Juventus em 1936 já veterano e teve excelente desempenho no time da Mooca atuando por uma temporada em 1936.

Em 1938, o consagrado goleiro Jurandyr, pertencente ao Palestra, foi emprestado ao Juventus para uma única partida amistosa contra a Seleção Paulista e fechou a meta, garantindo a vitória grená.

Em 1954, nada mais nada menos que Oberdan Cattani, lendário goleiro alviverde, assinava com o time da Mooca. Na década de 50, Walter atuou pelo Juventus de 1952 a 1954. Seu bom desempenho garantiu uma transferência para o Verdão em 1955, retornando para o clube da Mooca no mesmo ano.

Picasso teve destacada passagem pelo Palmeiras nos tempos da Academia de Futebol nos anos 60. Era o reserva imediato de Valdir Joaquim de Moraes. Em busca de espaço, Picasso foi para o Juventus em 1966.

Nos anos 70, Donah e Bernardino atuaram por Palmeiras e Juventus. Na década de 80, Carlos Pracidelli se consagrou com a camisa 1 juventina, sendo campeão brasileiro da série B em 1983. Apesar de não atuar como goleiro do Palmeiras, anos mais tarde Pracidelli assumiu o cargo de preparador de goleiros do Verdão, revelando inúmeros talentos, com destaque para o pentacampeão Marcos, ídolo eterno dos palmeirenses.

Em 1995, Gilmar assumia o arco grená. Já veterano, o goleiro foi revelado pelo Palmeiras no final dos anos 70. Com a camisa juventina, foi uma garantia de segurança durante dois anos.

Nos anos 2000 o Juventus recebeu uma legião de goleiros formados no Palmeiras. Fernando, Fábio, Deola e Marcelo. Esse último se sagrou campeão paulista da Série A-2 em 2005 e da Copa Paulista de Futebol em 2007, tornando-se um verdadeiro ídolo do clube da Mooca.

Dez anos depois de sua primeira passagem pelo Juventus, o ex-palmeirense Deola volta à Rua Javari. Que ele mantenha essa longa tradição e seja peça chave na caminhada do time grená à elite Estadual.

juve

Padrão