Esportes

Pupilos de Jesus

Se o time de futebol principal da Sociedade Esportiva Palmeiras deixou a desejar e frustrou  os torcedores alviverdes nessa temporada, a categoria de base está nos enchendo de orgulho!

Os garotos palmeirenses fazem uma temporada das mais gloriosas na história do clube esmeraldino. Sob a coordenação geral de João Paulo Sampaio, que ingressou no clube em 2015, e direção de Marcelo Dedeschi Teixeira, palestrino dos mais ativos e apaixonados na instituição, o Verdão evolui a passos largos, dentro e fora de campo.

Os resultados alcançados falam por si só. Inúmeros atletas em seleção brasileira, projeção internacional, títulos, formação de atletas, mas acima de tudo, preparando todos para a vida além do futebol. Exemplo de trabalho bem feito, em sintonia com as tradições alviverdes.

Profissionalismo sem perder a essência e referências que sempre nortearam o Palmeiras. O cantar do hino pelos garotos, a emoção e brilho no olhar de cada um, o comprometimento com os valores alviverdes, a defesa incansável das nossas cores. Tudo isso salvaguarda a chama palestrina sempre acesa, projetando um futuro promissor e mostrando para nossa apaixonada coletividade que o caminho e os exemplos a serem seguidos estão dentro da nossa casa.

Em 2017, além de bons e talentosos valores em todas as categorias, o clube é protagonista nas principais disputas. Vejamos:

Sub-11

Campeonato Paulista: 22 jogos, 21 vitórias, 1 empate, 111 gols marcados, 6 gols contra.

Finalista da competição. Enfrenta o Santos Futebol Clube na decisão.

Destaque: Luighi Hanri – 18 gols marcados. Artilheiro geral do torneio.

Títulos conquistados esse ano: Copa Bellmare no Japão

Sub-13

Campeonato Paulista: 22 jogos, 17 vitórias, 4 empates, 1 derrota, 64 gols marcados, 11 gols contra.

Finalista da competição. Enfrenta o Sport Club Corinthians Paulista na decisão.

Destaque: Marcos Eduardo – 16 gols marcados. Artilheiro da equipe no torneio.

Títulos conquistados esse ano: Copa Ouro, Copa Cidade Verde e Copa Cidade de São Ludgero.

Sub-15

Campeonato Paulista: 30 jogos, 27 vitórias, 1 empate, 2 derrotas, 121 gols marcados, 12 gols contra.

Finalista da competição. Enfrenta o São Paulo Futebol Clube na decisão.

Destaque: Gabriel Silva – 27 gols marcados. Artilheiro geral do torneio.

Títulos conquistados esse ano: Copa Nike Premier e Torneio Brasil-Japão.

Sub-17

Campeonato Paulista: 30 jogos, 24 vitórias, 2 empates, 4 derrotas, 108 gols marcados, 20 gols contra.

Finalista da competição. Enfrenta a Ponte Preta na decisão.

Destaque: Diego – 19 gols marcados. Artilheiro da equipe no torneio.

Títulos conquistados esse ano: Scopigno Cup na Itália.

*** Semifinalista da Copa do Brasil. Decide a vaga para a final contra o Flamengo-RJ na próxima quinta-feira (16), no Rio de Janeiro. Na partida de ida  goleou pelo placar de 4 a1 o seu rival.

Sub-20

Campeonato Paulista: 27 jogos, 21 vitórias, 4 empates, 2 derrotas, 72 gols marcados, 18 gols contra.

Semifinalista da competição. Enfrenta o Grêmio Novorizontino na partida de volta.

Destaque: Léo Passos – 14 gols marcados. Artilheiro da equipe no torneio.

Títulos conquistados esse ano: Torneio de Bellinzona na Suíça.

Finais do Paulista

Sub-11: Palmeiras x Santos F.C.

Sub-13: Palmeiras x S.C. Corinthians Paulista

Sub-15: Palmeiras x São Paulo F.C.

Sub-17: Palmeiras x Ponte Preta

*** Sub-20 disputando a fase semifinal. Venceu a partida de ida contra o Grêmio Novorizontino pelo placar de 2 a 0, fora de casa. Decide a vaga em casa na próxima sexta-feira (17), na Arena Barueri, com a vantagem de jogar por dois resultados a favor.

Na história

Apenas em duas ocasiões na história do Palmeiras todas as categorias de base do clube chegaram a decisão de suas respectivas disputas num mesmo ano, em competições promovidas pela Federação Paulista de Futebol.

Em 1959, o Verdão chegou a final no sub-15 (campeão), sub-17 (vice-campeão), aspirantes (campeão) e extra-amador (campeão).

Em 1977, o Palmeiras repetiu o feito ao chegar em todas as finais das competições de base vigentes: sub-15 (vice-campeão), sub-17 (vice-campeão) e sub-20 (campeão).

Em toda a história do Campeonato Paulista das categorias de base, desde que foi introduziu em 1972 a disputa das três categorias (sub-15, sub-17 e sub-20), apenas uma vez uma equipe ganhou todos os títulos das suas respectivas categorias num mesmo ano. Ocorreu em 1995, quando o São Paulo Futebol Clube alcançou esse feito, jamais repetido.

A partir de 2008, quando a Federação Paulista de Futebol introduziu as cinco categorias (sub-11, sub-13, sub-15, sub-17), apenas o Santos Futebol Clube em 2015 chegou em todas as finais num mesmo ano. Entretanto, nenhuma agremiação jamais conquistou mais que três títulos num único ano.

Clube Formador

A oralidade por vezes reproduz um discurso que não condiz com a realidade. Uma das principais miopias no universo do futebol é de que “a base do Palmeiras não revela ninguém”.

Para não cansar o leitor com uma lista extensa, apresento apenas alguns exemplos:

Atletas formados no Palmeiras que disputaram Copas do Mundo

Filó (jogou pela Seleção da Italia) – 1930
Romeu Pelliciari – 1938
Dino Sani – 1958
Mazzola – 1958
Alfredo Mostarda – 1974
Pedrinho Vicençote – 1982
Zetti – 1994
Marcos – 2002
Roque Júnior – 2002

Atletas que chegaram a seleção brasileira formados no Palmeiras (além dos citados acima)

David Braz, Diego Cavalieri, Vagner Love, Elias, Bruno Cesar, Ilsinho, Glauber, Amaral, Velloso, Zetti, Edu Manga, Canhotinho, Gino Orlando, Lima, Oberdan Cattani, Begliomini, Junqueira, Waldemar Fiume, Ministrinho, Gogliardo, Serafini, entre outros.

Atletas na Série A do Campeonato Brasileiro em 2017 formados no Palmeiras

Pedro Geromel (Grêmio), David Braz (Santos), Rafael Vaz (Flamengo), Diego Cavalieri (Fluminense), Marquinho (Fluminense), Victor Luis (Botafogo), Lucas Rocha (Vasco da Gama), Thiago Martins (Bahia), Matheus Salles (Bahia), Elias (Atlético-MG), Roger Bernardo (Atlético-MG), Anselmo (Sport Recife), Nikão (Atlético-PR), João Pedro (Chapecoense), Nadson (Chapecoense).

Jóia da Coroa

A maior de todas as recentes revelações das categorias de base da Sociedade Esportiva Palmeiras brilha atualmente com a camisa do Manchester City, na Inglaterra, e da seleção braslieira. Trata-se de Gabriel Jesus.

Exemplo para todos os jovens palestrinos – e não palmeirenses também -, o atacante formado no Verdão foi protagonista do título brasileiro conquistado em 2016 e agora tem a missão de conduzir o seu novo clube aos principais troféus ingleses e europeus, assim como dar ao povo brasileiro mais uma (ou algumas) Copa do Mundo.

Jesus deixou um legado no Palmeiras. Seu futebol, conduta e cárater iluminam e inspiram futuros craques no seio alviverde. Que os frutos dessa colheita sejam ainda mais férteis e projete no Palmeiras outras jóias raras, assim como ocorreu com nosso eterno menino das Alamedas Gabriel.

jesus

FORZA VERDÃO!!!

 

Anúncios
Padrão
Esportes

Sete juízes em campo

O dia 19 de julho de 1936 entrou para a história do futebol paulista, como sendo a primeira vez que sete juízes atuaram na condução de uma competição oficial na capital paulista.

O fato inédito e pitoresco aconteceu no Torneio Início do Campeonato Paulista da Associação Paulista de Esportes Atléticos (APEA), no extinto campo da A.A.São Bento, na Ponte Grande, Zona Norte da cidade de São Paulo.

Os juízes eram assim distribuídos: um árbitro central, 2 juizes de meta e 4 juizes de linha, um em cada metade do gramado e em lados opostos.

A razão de haver o número exagerado de árbitros, deu-se pelo fato do número reduzido de equipes que disputaram o torneio, frustrando a expectativa dos organizadores, que se programaram para um grande evento.

Cinco clubes apenas apresentaram-se ao torneio, no qual foi disputado o bronze “Helle Nice”, ofertado pelo consul da França, sr. De Martin, o qual deu o pontapé inicial da partida final. Foram eles: São Caetano, Ypiranga, Portuguesa de Desportos, Ordem e Progresso e Humberto Primo.

Era um período de cisão entre as entidades organizadoras no futebol paulista. A APEA organizou dois Campeonatos Paulistas com a ausência das grandes equipes, como o Palmeiras, Santos e Corinthians, São Paulo, em 1935 e 1936, que disputavam um Paulistão pela Liga Paulista de Futebol que era apoiada pela CBD (Confederação Brasileira de Desportos). A APEA não resistiu e fechou, sendo sucedida pela concorrente Liga de Futebol do Estado de São Paulo.

Na decisão da competição, o modesto Esporte Clube Humberto Primo (atual Esporte Clube Vila Mariana) sagrou-se campeão ao vencer a favorita e tradicional Portuguesa de Desportos, por 2 a 1, sob o comando do árbitro central Heitor Marcelino Domingues, ex-jogador e maior artilheiro da história do Palestra Itália (Palmeiras).

O troféu existe até hoje e está preservado na sede social do Esporte Clube Vila Mariana (atual denominação do Esporte Clube Humberto Primo, que teve que mudar seu nome devido a Segunda Guerra Mundial), localizado na Rua Domingos de Morais 1.768.

Ficha técnica da partida final:

Humberto Primo 2×1 Portuguesa de Desportos
Campo: A.A.São Bento (Ponte Grande)
Gols: Omar, Chemp (HUM); Duilio (POR)
Humberto: Roberto, Ernesto, Rebizzi, Barolo, Meudo, Isaias, Pedrinho, Omar, Dempsey, Chemp, Figurado.
Portuguesa: Rodrigues, Fiorotti, Oswaldo, Manduco, Duilio, Barros, Frederico, Carioca, Arnaldo, Alberto, Emilio.

Confira as escalações das equipes participantes do torneio:

São Caetano: Figueira, Rossi, Martorelli, Reis, Mesquita, Bizueta, Marinotti,  Firmo, Anilu, Zeca, Lela

Portuguesa: Rodrigues, Fiorotti, Oswaldo, Manduco, Duilio, Barros, Frederico, Carioca, Arnaldo, Alberto, Emilio

Humberto I: Roberto, Ernesto, Rebizzi, Barolo, Meudo, Isaias, Pedrinho, Omar, Dempsey, Chemp, Figurado

Ordem e Progresso: Belmiro, Italiano, Orlando, Marcello, Lagreca, Gino, Nene, Mariano, Juca, Waldomiro, Arnoldo

Ypiranga: Tuffy, Rovay, Archangelo, Pepe, Americo, Raphael, Figueiredo II, Avelino, Murza, Jorginho,  Figueiredo I.

untitled

 

Padrão