Esportes

Debutante no clásssico

O goleiro Vinicius Silvestre vestiu pela primeira vez a camisa do time profissional do Palmeiras no clássico diante do Santos Futebol Clube, no estádio da Vila Belmiro, pelo Campeonato Brasileiro, na noite de sábado (29).

Na história do alviverde foram seis arqueiros que fizeram a sua primeira partida pelo Verdão no clássico contra o rival praiano.

Em 1916, Flosi assumiu a meta palestrina e garantiu a vitória por 4 a 2 contra o Peixe. O goleiro ficou como titular da equipe até 1919, quando deixou o Palestra. Um dos seus principais feitos com a camisa esmeraldina foi defender uma penalidade do lendário Arthur Friedenreich, o principal craque do futebol brasileiro no início do século XX.

No ano de 1932, Joel fazia a sua estréia no gol contra o Peixe. O Verdão venceu por 2 a 1. Mas sua carreira foi interrompida, após uma grave contusão no jogo seguinte diante do Sírio.

Craque consagrado, Jurandyr vestiu a camisa palestrina pela primeira vez em 1935 no empate por 0 a 0 contra o Santos, pelo Campeonato Paulista. O arqueiro foi um dos maiores de sua posição no futebol sul-americano. Brilhou defendendo a seleção brasileira, Palmeiras, Corinthians, Flamengo e equipes argentinas.

Joãozinho, em 1939, era reserva palestrino e fez a sua primeira partida como profissional contra o Santos, num amistoso em que o Verdão foi goleado por 6 a 1. Depois dessa partida, teve poucas chances pelo alviverde e foi negociado.

Em busca de um reserva para o lendário Oberdan Cattani, o goleiro Rei foi um dos inúmeros arqueiros que fizeram um período de testes no Parque Antártica. Teve uma prova de fogo em sua estreia e se saiu bem na vitória do Palmeiras por 1 a 0 sobre o Santos. Entretanto, teve carreira curta no Palestra. Afinal, na titularidade estava um dos maiores goleiros do futebol mundial.

Emprestado pela Ferroviária de Araraquara enquanto Emerson Leão servia a Seleção Brasileira na Copa do Mundo de 1974, Sergio Bergantin foi o último goleiro palestrino a estrear num clássico contra o Santos. Muito desfalcado, o Verdão foi goleado pelo rival pelo placar de 4 a 0.

Vinicius Silvestre na categoria de base do Palmeiras:

Sub-15

Torneio SC Cup (2009)

Sub-17

Taça Rio (2011) – Campeão
*** Na cobrança de pênaltis, o goleiro Vinícius brilhou defendendo duas cobranças.

Campeonato Paulista (2011) – Campeão
*** Defendeu penalidade na decisão do Campeonato Paulista contra o Santos Futebol Clube.

Copa Santiago (2012) – Vice-Campeão

Sub-20

Campeonato Paulista (2012)

Copa do Brasil (2013)

Campeonato Paulista (2013)

Campeonato Brasileiro (2013) – Vice-Campeão

Copa São Paulo de Futebol Juniores (2014)

Copa do Brasil (2014)

Campeonato Brasileiro (2014)

Campeonato Paulista (2014)

vinicius

FORZA VERDÃO

Anúncios
Padrão
Esportes

Tradição Juventina

O Clube Atlético Juventus inicia a montagem do seu elenco de futebol profissional que disputará o Campeonato Paulista da Série A-2. Na última semana o primeiro reforço apresentado foi o goleiro Deola que, entre outros clubes, defendeu as cores do Palmeiras.

Consciente ou inconscientemente, os mandatários grenás resgatam uma longa tradição de possuir em suas fileiras a camisa 1 do time da Mooca sendo defendida por arqueiros com passagens pelo alviverde de Parque Antártica.

Em 1930, Zeca, suplente palestrino na conquista do Tricampeonato Paulista de 32-33-34, chegou ao Juventus em 1936 já veterano e teve excelente desempenho no time da Mooca atuando por uma temporada em 1936.

Em 1938, o consagrado goleiro Jurandyr, pertencente ao Palestra, foi emprestado ao Juventus para uma única partida amistosa contra a Seleção Paulista e fechou a meta, garantindo a vitória grená.

Em 1954, nada mais nada menos que Oberdan Cattani, lendário goleiro alviverde, assinava com o time da Mooca. Na década de 50, Walter atuou pelo Juventus de 1952 a 1954. Seu bom desempenho garantiu uma transferência para o Verdão em 1955, retornando para o clube da Mooca no mesmo ano.

Picasso teve destacada passagem pelo Palmeiras nos tempos da Academia de Futebol nos anos 60. Era o reserva imediato de Valdir Joaquim de Moraes. Em busca de espaço, Picasso foi para o Juventus em 1966.

Nos anos 70, Donah e Bernardino atuaram por Palmeiras e Juventus. Na década de 80, Carlos Pracidelli se consagrou com a camisa 1 juventina, sendo campeão brasileiro da série B em 1983. Apesar de não atuar como goleiro do Palmeiras, anos mais tarde Pracidelli assumiu o cargo de preparador de goleiros do Verdão, revelando inúmeros talentos, com destaque para o pentacampeão Marcos, ídolo eterno dos palmeirenses.

Em 1995, Gilmar assumia o arco grená. Já veterano, o goleiro foi revelado pelo Palmeiras no final dos anos 70. Com a camisa juventina, foi uma garantia de segurança durante dois anos.

Nos anos 2000 o Juventus recebeu uma legião de goleiros formados no Palmeiras. Fernando, Fábio, Deola e Marcelo. Esse último se sagrou campeão paulista da Série A-2 em 2005 e da Copa Paulista de Futebol em 2007, tornando-se um verdadeiro ídolo do clube da Mooca.

Dez anos depois de sua primeira passagem pelo Juventus, o ex-palmeirense Deola volta à Rua Javari. Que ele mantenha essa longa tradição e seja peça chave na caminhada do time grená à elite Estadual.

juve

Padrão