Esportes

Dudu e mais 10

Creio que daqui a cinquenta anos, quando, talvez, eu não exista mais, continuando porém a existir o Palestra, o vezo que toma conta dos palestrinos a cada derrota, também continuará, sem esperanças de desaperecer.

Na hora do revez, o palestrino limita-se a criticar. Critica em primeiro lugar a diretoria, critica o campo, critica o juiz, critica os jogadores, critica a si mesmo. Moléstia sem cura!

Foi assim que o fundador do Palestra Itália, Vincenzo Ragognetti, definiu nas páginas da Revista Vida Esportiva Paulista, em 1941, o perfil dos palestrinos, a qual reproduzimos e nos identificamos em gênero, número e grau.

Afirmação oportuna e que pode ser repetida em diversos momentos de nossa história. Um espelho de nossa alma. Uma radiografia do nosso DNA alviverde. Uma fratura exposta do nosso jeito peculiar de entender as coisas do nosso querido Palmeiras. Sempre com uma passionalidade visceral.

No início do Palestra, em 1920, o alvo da torcida era o craque Ministro. Quando as coisas não iam bem, ele era o culpado. Depois que Ministro deixou o Palestra, o alvo passou a ser Heitor Marcelino. Cada vez que o maior artilheiro da história esmeraldina iria jogar contra o Paulistano, diziam que ele afinava. Não queria jogar. Fazia corpo mole.

Quando Heitor pendurou as chuteiras, o alvo foi o atacante Romeu Pelliciari. Cada derrota do clube alviverde, ele era tratado como pipoqueiro. Pelliciari foi embora e o alvo passou a ser o meia-atacante Lima. Diziam que nos Derbys ele não era de nada.

No final dos anos 70 foi a vez do nosso bode expiatório se chamar Jorge Mendonça. Baladeiro, cachaceiro, indolente era alguns dos rótulos colados na testa do craque palmeirense. Nos anos 80, o atacante Jorginho Putinatti era pé-frio. Nos anos 90, Edmundo era mercenário. Nos anos 2000, o meia Alex era sonolento. Chegou a vez de Dudu!

Com 46 gols em pouco mais de três anos o atacante e capitão palestrino é o atual vice-artilheiro do Palmeiras no século XXI, atrás apenas de Vagner Love, com 54 gols. Dois títulos de campeão nacional. Três vices-campeonatos. O jogador com maior número de assistências do elenco. Dois gols na final da Copa do Brasil em 2015. Artilheiro do time na temporada em 2015, com 16 gols. Vice-artilheiro da equipe no Brasileirão de 2016, com 6 gols, atrás apenas de Gabriel Jesus. Artilheiro do time no Brasileirão de 2017, com 9 gols marcados. Vice-artilheiro da equipe na temporada 2017, com 16 gols marcados. Maior artilheiro da história do estádio Palestra Itália, após a sua reforma em 2014, com 23 gols marcados.

Esse é o jogador que “não serve” para alguns setores da nossa torcida? Esse é o “ídolo de barro” para aqueles que adoram procurar um bode expiatório? Esse é o jogador que “afunda” o Verdão? Esse é o jogador que “desrrespeita” o torcedor ao não comemorar um gol que nos garante uma vitória? A quem interessa criar uma rota de colisão contra um dos principais jogadores do atual elenco?

Ironia a parte, uma miopia sem tamanho que se repete como um padrão de tempos em tempos, mas que cabe a todos nós escolhermos continuar presos a esse ciclo destrutivo, ou evoluir para um caminho mais iluminado.

Breve comparativo com jogadores chaves dos rivais e com período proporcional ao de Dudu no Palmeiras:

Corinthians

Rodriguinho chegou em 2013 no time do Parque São Jorge e só se firmou no elenco alvinegro em 2015. De lá para cá, disputou 160 jogos e marcou 33 gols nesse período.

Fez seu primeiro gol em um clássico em 2017, diante do São Paulo. Contra os três principais  rivais paulistas fez quatro gols no total. (Dois contra o São Paulo, dois contra o Palmeiras e nenhum contra o Santos).

É tratado como “Reidriguinho”.

Santos

Gabriel foi alçado a equipe profissional do Santos em 2013. Disputou 157 jogos e marcou 57 gols.

Fez seu primeiro gol em um clássico em 2014, diante do Corinthians. Contra os três principais  rivais paulistas fez 12 gols no total. (Seis contra o Palmeiras, três contra o Corinthians e três contra o São Paulo).

É tratado como “Gabigol”.

Palmeiras

Dudu chegou em 2015 no Palmeiras. Fez 184 jogos e marcou 46 gols.

Fez seu primeiro gol em um clássico em 2015, diante do Corinthians. Contra os três principais  rivais paulistas fez 7 gols no total. (Três contra o Santos, dois contra o Corinthians e dois contra o São Paulo).

Como iremos tratá-lo?

dudu

FORZA VERDÃO!!!

 

Anúncios
Padrão
Esportes

O craque em primeiro lugar

Jair da Rosa Pinto era o cérebro da equipe do Flamengo em 1949.  Compunha uma linha no rubro-negro carioca formada por craques como Zizinho, Durval, Esquerdinha, Biguá e Bria.

Gênio irrasível, sua saída da Gávea foi turbulenta. Ele recebeu a acusação de ter sido subornado no jogo em que o Flamengo perdeu por 5 a 2 para o Vasco. A sua camisa foi queimada pela torcida, em protesto.

Ferrucio Sandoli, presidente do Palmeiras, sagaz e grande conhecedor de futebol, não pensou duas vezes. Pegou o trem e foi para o Rio de Janeiro. Em poucas horas, o Palmeiras contava em suas fileiras com um dos maiores camisas 10 do futebol brasileiro.

Jair disputou a Copa do Mundo de 1950, sendo um dos destaques da seleção brasileira no mundial, no fatídico vice-campeonato canarinho, diante dos uruguaios, numa das maiores tragédias da história do futebol.

No ano seguinte, em 1951, Jajá – como era conhecido –  liderou o alviverde na conquista do Mundial Interclubes diante da Juventus de Turim, no mesmo estádio do Maracanã.

César Maluco era um joia das categorias de base do Flamengo nos anos 60. Mas era tido pelos mentores cariocas como um craque problema.

A diretoria palestrina, comandada pelo presidente Delfino Facchina, recebeu uma sondagem do Flamengo que propôs uma troca por empréstimo. O Palmeiras mandava o atacante Ademar Pantera – que havia sido artilheiro do Torneio Rio-São Paulo pelo Verdão – e recebia a promessa flamenguista.

César Maluco veio para o Palestra, aprovou, conquistou títulos, tornou-se ídolo da torcida. É até hoje o maior artilheiro da era profissional do Palmeiras.

Edmundo surgiu nas categorias de base do Vasco da Gama como uma joia, nos anos 90. Habilidoso e ótimo finalizador, em pouco tempo no time profissional já dava sinais que seria um ídolo cruzmaltino do tamanho de Roberto Dinamite ou Romário.

Sua rebeldia fez com que ele trocasse São Januário pelo Palestra Itália. Vestiu a camisa alviverde e foi um dos pilares daquele time inesquecível de 1993, campeão após 16 anos de jejum, diante do maior rival. Ganhou inúmeros títulos. É ídolo eterno do Verdão.

Fred é uma bandeira do Fluminense. Um craque de personalidade forte, tal qual Jair da Rosa Pinto, César Maluco e Edmundo. Todos forjados no futebol carioca. O atacante Tricolor está em rota de colisão nas Laranjeiras. Prestes a trilhar novos caminhos e desfilar o seu talento em outras praças.

Se os atuais comandantes alviverdes se debruçarem na linda história alviverde e tiverem a perspicácia dos antigos palestrinos, a chance dela se repetir com letras douradas no século XXI é uma possibilidade real para que no segundo semestre possamos ter um caminho ainda mais Glorioso na vida palmeirense.

Em primeiro lugar vem o craque! A camisa palestrina é pródiga em nos provar essa máxima.

simbolo-original

FORZA VERDÃO!!!

Padrão
Esportes, Italianidade

Tradição italiana

O Palmeiras é um dos clubes brasileiros que mais possui em sua história jogadores que atuaram por clubes italianos.

Para a temporada 2016, o zagueiro Roger Carvalho, recém-contratado, engrossa a longa lista de atletas palmeirenses que jogaram no calcio italiano.

Alberto Valentim, membro da comissão técnica atual do Palmeiras, teve passagem pelo futebol italiano quando ainda era jogador, atuando por Udinese e Siena.

Arioni III, foi o primeiro jogador a ter atuado num time italiano e defender o Palestra Italia, em 1917. Ele havia jogado no Torino, nos anos de 1913 e 1914.

Albertoni, que defendeu o Palestra Italia em 1921, também foi um dos pioneiros. Antes de vir da Italia para o Verdão, ele atuou pelas equipes do Pro Victoria, Vigor Milano, Cremonese, Modena e Brescia, entre 1912 e 1921.

Mas a consolidação desse intercâmbio, de fato, aconteceu a partir dos anos 30, quando o fluxo de atletas entre os dois países passou a ser intenso.

Na Lazio dos anos 30, estiveram por lá: Pepe, Serafini, Amilcar Barbuy, Niginho e Filó (que se sagrou campeão do mundo com a seleção italiana). Na Juventus, Ministrinho, ou Sernagiotto como era conhecido pelos peninsulares, foi o primeiro palmeirense a vencer o scudetto, nas temporadas 1932/33 e 1933/34. Gabardo e Arnoni eram os representantes alviverdes no Milan, enquanto Gogliardo vestiu a camisa do Napoli e do Padova.

José João Altafini, o popular Mazzola, é o palmeirense que mais vezes conquistou o campeonato italiano em quatro edições: (1958/59), (1961/62), (1972/73) e (1974/75). Ele também é o brasileiro com o maior número de jogos e de gols na história da Série A italiana, com 459 jogos e 216 gols marcados.

Mazzola também é o único palmeirense e ter sido artilheiro da Série A italiana. O atacante fez 22 gols na temporada 1961/62.

Humberto Tozzi, em 1958, foi o primeiro palmeirense a vencer a Copa Italia atuando pela Lazio. Com 11 gols marcados, ele foi o artilheiro da competição, sendo o primeiro brasileiro a alcançar tal façanha.

Luciano, começou sua carreira no futebol utilizando documento e nome falsos de Eriberto, é o primeiro palmeirense a ter vencido a Série B italiana, atuando pelo Chievo Verona, em 2007/08

Antoninho, em 1960, foi o primeiro jogador do Verdão a ganhar uma competição euopeia por um clube italiana. Defendendo a Fiorentina, o atacante sagrou-se campeão da extinta Recopa Europeia (também chamada de Taça das Taças), que reunia os vencedores de Copas Nacionais e deixou de ser disputado em 1999.

Dino Sani e Mazzola, ambos atuando pelo Milan, foram o primeiros palmeirenses a vencerem a Liga dos Campeões da UEFA, em 1962/63. Com 14 gols marcados, Mazzola foi o primeiro brasileiro a ser artilheiro da maior competição europeia.

Cafu, em 2007, defendendo as cores do Milan, foi o primeiro ex-palmeirense a ser campeão mundial interclubes por uma equipe italiana.

Marco Osio, em 1996, foi o último atleta de origem italiana que atuou pelo Verdão. Julinho Botelho, Chinesinho, Rivaldo e Rodrigo Taddei são palmeirenses que se tornaram ídolos no futebol da Itália.

Evair, na Atalanta, e Edmundo, na Fiorentina e no Napoli, foram outros craques e ídolos do Verdão nos anos 90, que desfilaram seus talentos na península.

Mauricio, zagueiro da Lazio, Gabriel Silva lateral-esquerdo do Carpi, Ryder Mattos meia do Carpi, Danilo zagueiro da Udinese, entre outros, disputam a Série A na atual temporada.

Confira a relação completa dos atletas que jogaram no Palmeiras e no futebol italiano:

Jogador Clubes
Albertoni Pro Victoria, Vigor Milano, Cremonese, Modena, Brescia
Alex Parma
Amaral Parma, Fiorentina
Americo Murolo Lanerossi Vicenza
Amilcar Barbuy Lazio
Anselmo Genoa, Palermo
Antoninho Fiorentina
Antonio Carlos Roma
Arione Juventus, Torino
Asprilla Parma
Batista Lazio, Avelino
Cafu Roma, Milan
Careca Biacnhesi Atalanta
Chinesinho Juventus, Modena, Catania, Lanerossi Vicenza
Cristaldo Bologna
Danilo Udinese
Diego Cavallieri Cesena
Dino Sani Milan
Duilio Lazio
Edinho Lecce
Edmundo Fiorentina, Napoli
Edu Marangon Torino
Enéas Bologna
Eriberto (Luciano) Bologna, Chievo Verona, Internazionale, Mantova
Evair Atalanta
Fabiano Perugia, Arezzo, Reggina, Genoa, Vicenza
Fabio Junior Roma
Faustino Palermo
Fernando Palermo, Juventus, Bari
Filó Lazio
Gabardo Milan, Liguria, Genoa, Lazio, Gattinara
Gabriel Silva Udinese, Carpi
Gamarra Internazionale
Gaucho Lecce
Germano Milan, Genoa
Gerson Caçapa Lecce, Bari
Gogliardo Napoli, Padova, Lazio
Henrique Napoli
Humberto Tozzi Lazio
Jorignho Paulista Udinese
Julinho Botelho Fiorentina
Junior Parma, Siena
Leandro Amaral Fiorentina
Lúcio Internazionale, Juventus
Maicosuel Udinese
Marco Osio Torino, Parma, Empoli, Saronno, Pistoeise, Faenza, Alzano Virescit
Marcos Assunção Roma
Marquinho Roma, Verona, Udinese
Maurício Lazio
Mazinho Lecce, Fiorentina
Mazzolla Milan, Napoli, Juventus
Ministrinho Juventus
Mozart Livorno, Reggina
Muller Torino
Nardo Juventus
Niginho Lazio
Pablo Armero Udinese, Napoli, Milan
Pedrinho Vicençote Catania
Pepe Lazio
Reinaldo Verona
Rincon Napoli
Rivaldo Milan
Roberto Carlos Internazionale
Rodrigo Taddei Roma, Siena, Perugia
Roger Caravalho Bologna, Genoa
Roque Junior Milan, Siena
Ryder Mattos Carpi, Fiorentina
Serafini Lazio
Tedesco Lazio
Tuta Venezia
Vicente Arnoni Milan
Warley Udinese
Yeso Amalfi Torino
Zé Eduardo Genoa, Siena
Zé Maria Perugia, Parma, Internazionale
Zeola Napoli

Altafini (Mazzola)

https://www.youtube.com/watch?v=ZYzAJyuty2w

Julinho Botelho

https://www.youtube.com/watch?v=uAZ1X4sGqAI

Evair

Edmundo

https://www.youtube.com/watch?v=O84j3kd33dM

filo

Filó, Amphilóquio Guarisi, primeiro ítalo-brasileiro Campeão do Mundo pela Itália em 1934

ministrinho

Ministrinho, Pedro Sernagiotto, primeiro palestrino a ser campeão italiano

535px-Scudetto_Italia_Calcio

Padrão
Esportes

100 Gols de Edmundo

Edmundo, um dos maiores ídolos da história da Sociedade Esportiva Palmeiras, chegou a marca de 100 gols com a camisa do alviverde.

A marca centenária foi alcançada no jogo festivo de despedida do meia Alex, realizado no estádio Palestra Itália, no último dia 28 de março, que reuniu a equipe do Palmeiras 1999 contra um combinado dos amigos do Alex.

Atuando pela equipe do Palmeiras de 1999, o Animal foi às redes após conlcuir lindo passe de Evair e driblar o goleiro adversário, garantindo a vitória palmeirense pelo placar de 5 a 3.

Pelo Verdão, Edmundo marcou 99 gols em jogos oficiais e um gol em jogo extra-oficial. Entre as curiosidades de sua carreira, o Animal sempre que marcou gols no Corinthians, jamais perdeu atuando pelo time alviverde.

Edmundo é um dos poucos atletas na história do Palmeiras que anotou gols contra todos os principais clubes do eixo Rio-São Paulo.

Confira a lista completa dos 100 gols do Animal pelo Verdão:

Gols Data Adversário Competição
1 07/02/1993 Palmeiras 3 x 1 Santos Campeonato Paulista
2 14/02/1993 Palmeiras 2 x 0 Corinthians Campeonato Paulista
3 28/02/1993 Palmeiras 4 x 0 Portuguesa Campeonato Paulista
4 06/04/1993 Palmeiras 3 x 0 4 de Julho-PI Copa do Brasil
5 25/04/1993 Palmeiras 2 x 0 Ituano Campeonato Paulista
6 27/04/1993 Palmeiras 1 x 1 Grêmio-RS Copa do Brasil
7 29/04/1993 Palmeiras 3 x 0 Guarani-SP Campeonato Paulista
8 08/05/1993 Palmeiras 2 x 1 Xv de Piracicaba Campeonato Paulista
9 16/05/1993 Palmeiras 6 x 1 Rio Branco Campeonato Paulista
10 16/05/1993 Palmeiras 6 x 1 Rio Branco Campeonato Paulista
11 20/05/1993 Palmeiras 2 x 0 Guarani-SP Campeonato Paulista
12 22/05/1993 Palmeiras 1 x 0 Ferroviária Campeonato Paulista
13 02/06/1993 Palmeiras 4 x 1 Ferroviária Campeonato Paulista
14 11/07/1993 Palmeiras 3 x 0 Fluminense-RJ Torneio Rio-São Paulo
15 04/08/1993 Palmeiras 2 x 0 Corinthians Torneio Rio-São Paulo
16 04/08/1993 Palmeiras 2 x 0 Corinthians Torneio Rio-São Paulo
17 12/09/1993 Palmeiras 3 x 0 Sport Recife-PE Campeonato Brasileiro
18 12/09/1993 Palmeiras 3 x 0 Sport Recife-PE Campeonato Brasileiro
19 18/09/1993 Palmeiras 1 x 1 Grêmio-RS Campeonato Brasileiro
20 12/10/1993 Palmeiras 3 x 1 Guarani-SP Campeonato Brasileiro
21 30/10/1993 Palmeiras 3 x 1 Grêmio-RS Campeonato Brasileiro
22 30/10/1993 Palmeiras 3 x 1 Grêmio-RS Campeonato Brasileiro
23 06/11/1993 Palmeiras 3 x 2 Atlético-MG Campeonato Brasileiro
24 28/11/1993 Palmeiras 2 x 1 Remo-PA Campeonato Brasileiro
25 01/12/1993 Palmeiras 3 x 0 Guarani-SP Campeonato Brasileiro
26 04/12/1993 Palmeiras 2 x 0 São Paulo-SP Campeonato Brasileiro
27 19/12/1993 Palmeiras 2 x 0 Vitória-BA Campeonato Brasileiro
28 05/02/1994 Palmeiras 6 x 1 Ituano Campeonato Paulista
29 05/02/1994 Palmeiras 6 x 1 Ituano Campeonato Paulista
30 12/02/1994 Palmeiras 4 x 0 Portuguesa Campeonato Paulista
31 12/02/1994 Palmeiras 4 x 0 Portuguesa Campeonato Paulista
32 05/04/1994 Palmeiras 2 x 0 União São João Campeonato Paulista
33 05/04/1994 Palmeiras 2 x 0 União São João Campeonato Paulista
34 12/04/1994 Palmeiras 6 x 0 Bragantino Campeonato Paulista
35 12/04/1994 Palmeiras 6 x 0 Bragantino Campeonato Paulista
36 09/07/1994 Palmeiras 5 x 0 Jubilo Iwata-JAP Amistoso
37 09/07/1994 Palmeiras 5 x 0 Jubilo Iwata-JAP Amistoso
38 19/07/1994 Palmeiras 4 x 0 Nagoya-JAP Amistoso
39 19/07/1994 Palmeiras 4 x 0 Nagoya-JAP Amistoso
40 05/08/1994 Palmeiras 3 x 1 Videoton-HUN Copa Parmalat
41 17/08/1994 Palmeiras 3 x 1 Nautico-PE Campeonato Brasileiro
42 21/08/1994 Palmeiras 2 x 0 Internacional-RS Campeonato Brasileiro
43 24/08/1994 Palmeiras 5 x 1 União São João Campeonato Brasileiro
44 03/09/1994 Palmeiras 1 x 1 Fluminense-RJ Campeonato Brasileiro
45 18/09/1994 Palmeiras 4 x 1 Nautico-PE Campeonato Brasileiro
46 24/09/1994 Palmeiras 4 x 2 Paraná Clube-PR Campeonato Brasileiro
47 30/10/1994 Palmeiras 2 x 2 São Paulo-SP Campeonato Brasileiro
48 30/10/1994 Palmeiras 2 x 2 São Paulo-SP Campeonato Brasileiro
49 15/12/1994 Palmeiras 3 x 1 Corinthians Campeonato Brasileiro
50 08/02/1995 Palmeiras 5 x 0 Guarani-SP Campeonato Paulista
51 08/02/1995 Palmeiras 5 x 0 Guarani-SP Campeonato Paulista
52 11/02/1995 Palmeiras 2 x 2 América de Rio Preto Campeonato Paulista
53 17/02/1995 Palmeiras 2 x 1 ABC-RN Copa do Brasil
54 21/02/1995 Palmeiras 3 x 2 Grêmio-RS Libertadores da América
55 24/02/1995 Palmeiras 3 x 1 Araçatuba Campeonato Paulista
56 24/02/1995 Palmeiras 3 x 1 Araçatuba Campeonato Paulista
57 04/03/1995 Palmeiras 1 x 0 Ferroviária Campeonato Paulista
58 18/03/1995 Palmeiras 2 x 1 Novorizontino Campeonato Paulista
59 24/03/1995 Palmeiras 1 x 0 ABC-RN Copa do Brasil
60 28/03/1995 Palmeiras 2 x 1 Emelec-EQU Libertadores da América
61 28/03/1995 Palmeiras 2 x 1 Emelec-EQU Libertadores da América
62 04/04/1995 Palmeiras 7 x 1 El Nacional-EQU Libertadores da América
63 04/04/1995 Palmeiras 7 x 1 El Nacional-EQU Libertadores da América
64 06/04/1995 Palmeiras 3 x 0 Ponte Preta Campeonato Paulista
65 18/01/2006 Palmeiras 1 x 0 São Bento Campeonato Paulista
66 28/01/2006 Palmeiras 4 x 0 Portuguesa Santista Campeonato Paulista
67 01/02/2006 Palmeiras 4 x 2 Deportivo Tachira-VEN Libertadores da América
68 05/02/2006 Palmeiras 2 x 4 São Paulo-SP Campeonato Paulista
69 22/02/2006 Palmeiras 4 x 3 Juventus Campeonato Paulista
70 02/03/2006 Palmeiras 3 x 2 Atlético Nacional-COL Libertadores da América
71 11/03/2006 Palmeiras 2 x 1 Portuguesa Campeonato Paulista
72 19/03/2006 Palmeiras 4 x 2 Ponte Preta Campeonato Paulista
73 16/04/2006 Palmeiras 2 x 3 Ponte Preta Campeonato Brasileiro
74 26/04/2006 Palmeiras 1 x 1 São Paulo-SP Libertadores da América
75 13/07/2006 Palmeiras 4 x 2 Vasco da Gama-RJ Campeonato Brasileiro
76 13/07/2006 Palmeiras 4 x 2 Vasco da Gama-RJ Campeonato Brasileiro
77 23/07/2006 Palmeiras 3 x 1 Goiás-GO Campeonato Brasileiro
78 29/07/2006 Palmeiras 4 x 2 Paraná Clube-PR Campeonato Brasileiro
79 17/08/2006 Palmeiras 1 x 1 Juventude-RS Campeonato Brasileiro
80 09/09/2006 Palmeiras 3 x 1 São Caetano Campeonato Brasileiro
81 08/10/2006 Palmeiras 3 x 1 Flamengo-RJ Campeonato Brasileiro
82 05/11/2006 Palmeiras 2 x 4 Paraná Clube-PR Campeonato Brasileiro
83 12/11/2006 Palmeiras 2 x 1 Botafogo-RJ Campeonato Brasileiro
84 04/02/2007 Palmeiras 3 x 3 Santos Campeonato Paulista
85 04/03/2007 Palmeiras 3 x 0 Corinthians Campeonato Paulista
86 04/03/2007 Palmeiras 3 x 0 Corinthians Campeonato Paulista
87 07/03/2007 Palmeiras 1 x 2 Noroeste Campeonato Paulista
88 11/03/2007 Palmeiras 4 x 1 Juventus Campeonato Paulista
89 11/03/2007 Palmeiras 4 x 1 Juventus Campeonato Paulista
90 18/03/2007 Palmeiras 4 x 2 Sertãozinho Campeonato Paulista
91 18/03/2007 Palmeiras 4 x 2 Sertãozinho Campeonato Paulista
92 24/03/2007 Palmeiras 3 x 2 Marilia Campeonato Paulista
93 29/03/2007 Palmeiras 2 x 0 América de Rio Preto Campeonato Paulista
94 01/04/2007 Palmeiras 1 x 3 São Paulo-SP Campeonato Paulista
95 08/04/2007 Palmeiras 2 x 2 Guaratingueta Campeonato Paulista
96 13/05/2007 Palmeiras 4 x 2 Flamengo-RJ Campeonato Brasileiro
97 13/05/2007 Palmeiras 4 x 2 Flamengo-RJ Campeonato Brasileiro
98 06/09/2007 Palmeiras 1 x 1 Botafogo-RJ Campeonato Brasileiro
99 02/12/2007 Palmeiras 1 x 3 Atlético-MG Campeonato Brasileiro
100 28/03/2015 Palmeiras 5 x 3 Amigos do Alex Amistoso

 

 t_73891_o-animal-olha-com-admiracao-para-os-37-mil-palmeirenses-no-adeus-de-marcosEdmundo honrou como poucos a camisa palmeirense. Ganhou títulos e se eternizou no coração da torcida alviverde como um dos maiores ídolos da história da Sociedade Esportiva Palmeiras

Padrão
Esportes

Edmundo x Kardec

Nessa temporada, o atacante Alan Kardec balançou as redes nos clássicos contra todos os grandes rivais paulistas do Verdão: Santos, São Paulo e Corinthians.

A última vez que um atleta palmeirense havia atingido tal feito de marcar pelo menos um gol em todos os clássicos numa única temporada foi no ano de 2007 através de Edmundo.

Naquela ocasião, Edmundo marcou dois gols contra o Corinthians, um contra o Santos e um contra o São Paulo. Kardec fez um gol em cada rival, todos em confrontos válidos pelo Campeonato Paulista.

edmundonopalmeiras1kardec

Edmundo e Kardec garantia de gols contra os rivais paulistas

GILSON KLEINA

Confira o retrospecto do treinador Gilson Kleina como treinador do alviverde contra os nove primeiros adversários do Palmeiras no Campeonato Brasileiro:

Criciúma-SC – nunca enfrentou como técnico do Palmeiras
Fluminense-RJ – um jogo e uma derrota por 3 a 2
Flamengo-RJ – um jogo e um emparte por 1 a 1
Goiás-GO – nunca enfrentou como técnico do Palmeiras
Vitória-BA – nunca enfrentou como técnico do Palmeiras
Figueirense-SC – um jogo e uma vitória por 3 a 1
Chapecoense-SC – dois jogos com um empate em 0 a 0 e uma derrota por 1 a 0
Botafogo-RJ – um jogo e um empate por 2 a 2
Grêmio-RS – nunca enfrentou como técnico do Palmeiras

Fica a pergunta: Com esse desempenho, você arriscaria mantê-lo no comando do Palmeiras no início do Campeonato Brasileiro?

Outras questões: Não teremos reforços para o Campeonato Brasileiro? O elenco que foi eliminado por um time da Série D é considerado ideal para a disputa de uma competição tão qualificada?

BASQUETE DO PALMEIRAS NO NBB

O basquete adulto masculino do Verdão começa a sua caminhada nas oitavas de final do Novo Basquete Brasil na noite dessa segunda-feira (7). O Palmeiras terá pela frente a equipe de São José. Confira os confrontos:

7/4 – Palmeiras x São José – às 19h – em São José dos Campos (transmissão Sportv)

9/4 – Palmeiras x São José – às 20h – em São José dos Campos

13/4 – Palmeiras x São José – às 18h – no Palestra Itália (transmissão Sportv)

15/4 – Palmeiras x São José – às 20h – no Palestra Itália

CATEGORIA DE BASE DO FUTSAL DO PALMEIRAS

As equipes da categoria de base do futsal do Palmeiras estiveram em ação na tarde de sábado (5), no ginásio do Palestra Itália, pelo Campeonato Estadual. Confira os resultados:

sub-10
Palmeiras 4 x 3 Sorocaba
Gols do Palmeiras: Kaike Ferrari (2), Yuri Silvestre, Pablo Cesar

sub-12
Palmeiras 2 x 2 Sorocaba
Gols do Palmeiras: Gian Paulo (2)

sub-14
Palmeiras 0 x 4 Sorocaba
Gols do Palmeiras: –

sub-16
Palmeiras 0 x 4 Sorocaba
Gols do Palmeiras: –

sub-17
Palmeiras 7 x 2 Sorocaba
Gols do Palmeiras: Matheus Esteves (2), Anderson Gonçalves (2), Leonardo Roberto (2), Leonardo Fernandes

WIZARDS GARANTIDO NOS PLAYOFFS DA NBA

A equipe do Washington Wizards garantiu uma vaga aos playoffs da NBA, com algumas rodadas de antecipação. O time comandado pelo armador John Wall, não chegava a uma fase decisiva desde 2008. Com um jogo consistente, os Wizards tem tudo para surpreender.

Restando apenas cinco jogos para o fim da temporada regular, os Wizards está na sexta colocação e luta com o Nets pelo quinto lugar. O time de Brooklyn possui duas vitórias de vantagem em relação ao Washington.

Se os playoffs começassem hoje, os Wizards iriam enfrentar o Toronto Raptors. Nos quatro confrontos da temporada regular, os Raptors  venceram três contra uma dos Wizards.

BRESCIA GOLEIA NO ITALIANO SÉRIE B

Jogando em casa, no estádio Mario Rigamonti, em Brescia, o Brescia Calcio venceu o Pescara pelo placar de 3 a 0, em partida válida pelo Campeonato Italiano da Série B.

Os gols do Brescia foram marcados por: Andrea Caracciolo, Di Cesare e Valotti.

A equipe bresciana atuou com: Arcari (G), Paci, Budel, Di Cesare, Zambelli, Finazzi, Rubén Olivera, Grossi (Scaglia), Ntow, Sodinha (Valotti), Corvia (Andrea Caracciolo). Técnico: Ivo Iaconi

Na décima terceira colocação da competição, com 43 pontos ganhos, o Brescia tem chances remotas de ainda lutar por um acesso à Série A. A próxima partida do Brescia será diante do Avelino, fora de casa, sábado (12).

Padrão