Esportes, Italianidade

Tradição italiana

O Palmeiras é um dos clubes brasileiros que mais possui em sua história jogadores que atuaram por clubes italianos.

Para a temporada 2016, o zagueiro Roger Carvalho, recém-contratado, engrossa a longa lista de atletas palmeirenses que jogaram no calcio italiano.

Alberto Valentim, membro da comissão técnica atual do Palmeiras, teve passagem pelo futebol italiano quando ainda era jogador, atuando por Udinese e Siena.

Arioni III, foi o primeiro jogador a ter atuado num time italiano e defender o Palestra Italia, em 1917. Ele havia jogado no Torino, nos anos de 1913 e 1914.

Albertoni, que defendeu o Palestra Italia em 1921, também foi um dos pioneiros. Antes de vir da Italia para o Verdão, ele atuou pelas equipes do Pro Victoria, Vigor Milano, Cremonese, Modena e Brescia, entre 1912 e 1921.

Mas a consolidação desse intercâmbio, de fato, aconteceu a partir dos anos 30, quando o fluxo de atletas entre os dois países passou a ser intenso.

Na Lazio dos anos 30, estiveram por lá: Pepe, Serafini, Amilcar Barbuy, Niginho e Filó (que se sagrou campeão do mundo com a seleção italiana). Na Juventus, Ministrinho, ou Sernagiotto como era conhecido pelos peninsulares, foi o primeiro palmeirense a vencer o scudetto, nas temporadas 1932/33 e 1933/34. Gabardo e Arnoni eram os representantes alviverdes no Milan, enquanto Gogliardo vestiu a camisa do Napoli e do Padova.

José João Altafini, o popular Mazzola, é o palmeirense que mais vezes conquistou o campeonato italiano em quatro edições: (1958/59), (1961/62), (1972/73) e (1974/75). Ele também é o brasileiro com o maior número de jogos e de gols na história da Série A italiana, com 459 jogos e 216 gols marcados.

Mazzola também é o único palmeirense e ter sido artilheiro da Série A italiana. O atacante fez 22 gols na temporada 1961/62.

Humberto Tozzi, em 1958, foi o primeiro palmeirense a vencer a Copa Italia atuando pela Lazio. Com 11 gols marcados, ele foi o artilheiro da competição, sendo o primeiro brasileiro a alcançar tal façanha.

Luciano, começou sua carreira no futebol utilizando documento e nome falsos de Eriberto, é o primeiro palmeirense a ter vencido a Série B italiana, atuando pelo Chievo Verona, em 2007/08

Antoninho, em 1960, foi o primeiro jogador do Verdão a ganhar uma competição euopeia por um clube italiana. Defendendo a Fiorentina, o atacante sagrou-se campeão da extinta Recopa Europeia (também chamada de Taça das Taças), que reunia os vencedores de Copas Nacionais e deixou de ser disputado em 1999.

Dino Sani e Mazzola, ambos atuando pelo Milan, foram o primeiros palmeirenses a vencerem a Liga dos Campeões da UEFA, em 1962/63. Com 14 gols marcados, Mazzola foi o primeiro brasileiro a ser artilheiro da maior competição europeia.

Cafu, em 2007, defendendo as cores do Milan, foi o primeiro ex-palmeirense a ser campeão mundial interclubes por uma equipe italiana.

Marco Osio, em 1996, foi o último atleta de origem italiana que atuou pelo Verdão. Julinho Botelho, Chinesinho, Rivaldo e Rodrigo Taddei são palmeirenses que se tornaram ídolos no futebol da Itália.

Evair, na Atalanta, e Edmundo, na Fiorentina e no Napoli, foram outros craques e ídolos do Verdão nos anos 90, que desfilaram seus talentos na península.

Mauricio, zagueiro da Lazio, Gabriel Silva lateral-esquerdo do Carpi, Ryder Mattos meia do Carpi, Danilo zagueiro da Udinese, entre outros, disputam a Série A na atual temporada.

Confira a relação completa dos atletas que jogaram no Palmeiras e no futebol italiano:

Jogador Clubes
Albertoni Pro Victoria, Vigor Milano, Cremonese, Modena, Brescia
Alex Parma
Amaral Parma, Fiorentina
Americo Murolo Lanerossi Vicenza
Amilcar Barbuy Lazio
Anselmo Genoa, Palermo
Antoninho Fiorentina
Antonio Carlos Roma
Arione Juventus, Torino
Asprilla Parma
Batista Lazio, Avelino
Cafu Roma, Milan
Careca Biacnhesi Atalanta
Chinesinho Juventus, Modena, Catania, Lanerossi Vicenza
Cristaldo Bologna
Danilo Udinese
Diego Cavallieri Cesena
Dino Sani Milan
Duilio Lazio
Edinho Lecce
Edmundo Fiorentina, Napoli
Edu Marangon Torino
Enéas Bologna
Eriberto (Luciano) Bologna, Chievo Verona, Internazionale, Mantova
Evair Atalanta
Fabiano Perugia, Arezzo, Reggina, Genoa, Vicenza
Fabio Junior Roma
Faustino Palermo
Fernando Palermo, Juventus, Bari
Filó Lazio
Gabardo Milan, Liguria, Genoa, Lazio, Gattinara
Gabriel Silva Udinese, Carpi
Gamarra Internazionale
Gaucho Lecce
Germano Milan, Genoa
Gerson Caçapa Lecce, Bari
Gogliardo Napoli, Padova, Lazio
Henrique Napoli
Humberto Tozzi Lazio
Jorignho Paulista Udinese
Julinho Botelho Fiorentina
Junior Parma, Siena
Leandro Amaral Fiorentina
Lúcio Internazionale, Juventus
Maicosuel Udinese
Marco Osio Torino, Parma, Empoli, Saronno, Pistoeise, Faenza, Alzano Virescit
Marcos Assunção Roma
Marquinho Roma, Verona, Udinese
Maurício Lazio
Mazinho Lecce, Fiorentina
Mazzolla Milan, Napoli, Juventus
Ministrinho Juventus
Mozart Livorno, Reggina
Muller Torino
Nardo Juventus
Niginho Lazio
Pablo Armero Udinese, Napoli, Milan
Pedrinho Vicençote Catania
Pepe Lazio
Reinaldo Verona
Rincon Napoli
Rivaldo Milan
Roberto Carlos Internazionale
Rodrigo Taddei Roma, Siena, Perugia
Roger Caravalho Bologna, Genoa
Roque Junior Milan, Siena
Ryder Mattos Carpi, Fiorentina
Serafini Lazio
Tedesco Lazio
Tuta Venezia
Vicente Arnoni Milan
Warley Udinese
Yeso Amalfi Torino
Zé Eduardo Genoa, Siena
Zé Maria Perugia, Parma, Internazionale
Zeola Napoli

Altafini (Mazzola)

https://www.youtube.com/watch?v=ZYzAJyuty2w

Julinho Botelho

https://www.youtube.com/watch?v=uAZ1X4sGqAI

Evair

Edmundo

https://www.youtube.com/watch?v=O84j3kd33dM

filo

Filó, Amphilóquio Guarisi, primeiro ítalo-brasileiro Campeão do Mundo pela Itália em 1934

ministrinho

Ministrinho, Pedro Sernagiotto, primeiro palestrino a ser campeão italiano

535px-Scudetto_Italia_Calcio

Anúncios
Padrão
Artes, Esportes, Italianidade

Futebol e Cinema

CICLO DE CINEMA ITALIANO

O FUTEBOL SOB O OLHAR DO CINEMA

Cinema e bate-papo gratuitos com Antonio Careca e Gerardo Landulfo

Instituto Italiano de Cultura exibe curta-metragem sobre Mazzola, ex-atacante ítalo-brasileiro, e abre conversa com o ex-jogador e apresentador Careca, sob mediação de Gerardo Landulfo, no dia 3 de julho, às 19h.

Na próxima quinta-feira, 3 de julho, o Instituto Italiano de Cultura realiza uma edição especial do seu Ciclo de Cinema Italiano, batizado de O Futebol sob o Olhar do Cinema. Aberto ao público e com entrada franca, a partir das 19h será exibido o curta-metragem “José Altafini – Alegria no Futebol” (25’), dirigido por Claudia Garrocini, e em seguida abre-se um bate papo informal com o ex-jogador e comentarista Antônio Careca, mediado pelo jornalista esportivo Gerardo Landulfo.

O curta-metragem conta a história de José Altafini, atacante ítalo-brasileiro, mais conhecido no Brasil como “Mazzola”, devido à sua semelhança com o jogador de futebol do Turim. Jogou na Seleção de Futebol do Brasil, campeão mundial em 1958 e, no mesmo ano, foi contratado pelo Milan. Por ocasião do Campeonato Mundial de Futebol de 1962, vestiu a camisa da seleção italiana.

Após a projeção, Antônio de Oliveira Filho, mais conhecido como Careca, considerado um dos atacantes mais populares do mundo nos anos de 1980-1990 abre debate mediado pelo jornalista Gerardo Landulfo.

Sobre o filme

Dirigido por Claudia Garrocini, o curta documentário “José Altafini – Alegria no Futebol” mostra uma parte da história do ex-atacante ítalo-brasileiro José João Altafini, filho de imigrantes italianos nascido em Piracicaba – SP no dia 24 de julho de 1938. O documentário de Claudia Garrocini tem um olhar poético sobre o futebol que ultrapassou os campos e atravessou o oceano. Para a história de Altafini, a diretora recorre a registros pessoais, arquivos e entrevista personalidades como: Flávio Prado, Mimo Carrateli, Mário Travaglini, entre outros amigos que são unânimes quanto ao caráter e alegria do ex- jogador. Mostra ainda a cidade de Torino, onde vive hoje Altafini, e conduz a esta história que vai além do futebol.

CICLO DE CINEMA ITALIANO

Horário: 20h

Local: Salão do Instituto Italiano de Cultura – Avenida Higienópolis, 436.
Telefone: (11) 3660 8888
Entrada franca

Padrão