Esportes

Elenco alviverde

Chegada a reta final da temporada, cabe uma breve análise do elenco de futebol profissional da Sociedade Esportiva Palmeiras, decantado no início desse ano como “o melhor do Brasil”, mas que na prática demonstrou desequilíbrio nos momentos decisivos e frustrou as expectativas da apaixonada torcida esmeraldina, sem ao menos sequer chegar a uma decisão e figurar como protagonista nas competições que participou.

Goleiros

Fernando Prass (55 jogos, 59 gols sofridos, 17 jogos sem sofrer gols). Aos 39 anos, viveu uma temporada irregular.

Jailson (9 jogos, 8 gols sofridos, 3 jogos sem sofrer gols). Aos 36 anos, sofreu uma grave lesão.

Vinicius Silvestre (23 anos) e Daniel Fuzato (20 anos) não tiveram oportunidades de atuar nessa temporada.

Zagueiros

Antonio Carlos (8 jogos). Aos 24 anos, nas chances que teve se mostrou inseguro e abaixo da média.

Edu Dracena (44 jogos). Aos 36 anos, assumiu a condição de titular durante a temporada.

Juninho (21 jogos). Aos 22 anos, marcou um gol contra a favor do Cruzeiro que lhe custou a retirada da equipe titular.

Luan (17 jogos, 1 expulsão). Aos 24 anos, não demonstrou ainda o bom futebol que apresentava no Vasco da Gama e Seleção Brasileira.

Mina (31 jogos, 5 gols marcados). Aos 23 anos, lesões e seleção colombiana fizeram com que ele não tivesse uma maior sequência na temporada.

Laterais

Egidio (35 jogos, 1 gol marcado). Aos 31 anos, chegou a ser barrado pelo técnico Cuca, após perda do pênalti decisivo na Copa Libertadores. Demonstra uma grande fragilidade defensiva e técnica.

Fabiano (19 jogos, 1 gol marcado). Aos 25 anos, nunca se firmou e manteve uma regularidade.

Mayke (23 jogos, 1 gol marcado). Aos 24 anos, por falta de opção assumiu a titularidade.

Zé Roberto (33 jogos, 1 gol marcado). Aos 43 anos, foi um reserva de luxo.

Meio-campistas

Jean (38 jogos, 4 gols marcados). Aos 31 anos, não se fixou nem na lateral e nem no meio campo.

Guerra (35 jogos, 7 gols marcados). Aos 32 anos, utilizado com pouco frequência e na maior parte vindo do banco de reservas, sofreu com lesões.

Arouca (2 jogos). Aos 31 anos, praticamente não atuou nessa temporada devido grave lesão.

Bruno Henrique (16 jogos, 2 gols marcados). Aos 28 anos, assumiu a titularidade logo que foi contratado.

Felipe Melo (29 jogos, 2 gols marcados). Aos 34 anos, é mais ativo nas redes sociais e em confusões, que dentro do campo. Muito ego. Pouca bola.

Hyoran (5 jogos, 1 gol marcado). Aos 24 anos, teve poucas chances de atuar. Na maioria vindo do banco de reservas.

Michel Bastos (34 jogos, 2 gols marcados). Aos 34 anos, pouco produziu na lateral ou no meio campo.

Moisés (16 jogos, 4 gols marcados). Aos 29 anos, perdeu grande parte do ano por uma grave lesão. É o termômetro do meio campo alviverde.

Raphael Veiga (22 jogos, 2 gols marcados). Aos 22 anos, sempre utilizado como opção vinda do banco de reservas.

Tchê Tchê (49 jogos, 2 gols marcados, 1 expulsão). Aos 25 anos, caiu de produção drasticamente, se comparado ao ano anterior.

Thiago Santos (39 jogos, 1 gol marcado). Aos 28 anos, apesar de ser opção no banco de reservas, sempre que esteve em campo deu conta do recado com seu forte poder de marcação.

Atacantes

Borja (41 jogos, 10 gols marcados). Aos 24 anos, teve problemas de adaptação para se firmar como o homem-gol que a torcida sonha.

Deyverson (16 jogos, 3 gols marcados, 1 expulsão). Aos 26 anos, veio no meio do ano para ser uma opção no setor. Não se firmou.

Dudu (47 jogos, 13 gols marcados, 1 expulsão). Aos 25 anos, é o titular e o capitão da equipe. Por vezes questionado para assumir um maior protagonismo nos momentos decisivos.

Erik (15 jogos). Aos 23 anos, surgiu como promessa mas perdeu espaço e não demonstra reação para reconquistá-lo.

Keno (48 jogos, 8 gols marcados). Aos 28 anos, ganhou a titularidade na reta final da temporada.

Roger Guedes (50 jogos, 8 gols marcados, 1 expulsão). Aos 21 anos, começou o ano como titular e agora é apenas uma opção.

Willian (49 jogos, 17 gols marcados, 1 expulsão). Aos 30 anos, chegou para ser uma opção no setor e se tornou o principal atacante da equipe.

Atletas que voltam de empréstimo:

Goleiro

Vagner (Guarani)

Laterais

João Pedro (Chapecoense)
Lucas (Fluminense)
Taylor (Paysandu)
Mateus Muller (Vila Nova-GO)
Victor Luis (Botafogo)

Zagueiros

Leandro Almeida (Figueirense)
Thiago Martins (Bahia)
*** Tobio (Rosario-ARG) e Nathan (Servette-SUI) emprestados até junho/2018

Volantes

Matheus Sales (Bahia)
Bruninho (Juventude)
Daniel (Bragantino)
Renato (Paysandu)

Meias

Allione (Bahia)
Juninho (Guarani)
Patrick Vieira (Londrina)

*** Vitinho (Barcelona-ESP) emprestado até junho/2018

Atacantes

Leandro (Kashima Antlers-JAP)
Artur (Londrina)
Gabriel Leite (Guarani)
Kaue (Oeste)
Mouche (Olimpia-PAR)
Rodolfo (Portuguesa)

*** Gabriel Barbosa (SPAL-ITA) emprestado até junho/2018

Atletas que terminam contrato com o Palmeiras após o empréstimo:

Bruno Oliveira (Bragantino), Léo Cunha (Potiguar), Gabriel Dias (Paraná Clube), Luiz Gustavo (Oeste), Amaral (Chapecoense), Robinho (Cruzeiro), Alecsandro (Coritiba), Luan (América-MG), Vinícius (Adanaspor-Turquia)

Esse é o cenário que teremos para o próximo ano no departamento de futebol profissional da Sociedade Esportiva Palmeiras. Além dos atletas do atual elenco e os que voltam de empréstimo, ainda teremos as possíveis contratações e alguns atletas da categoria de base que deverão ser incorporados para as disputas da Libertadores, Brasileiro, Copa do Brasil, Paulista e alguns prováveis torneios amistosos.

Apenas por suposição, não levando em conta questões contratuais, creio que essas seriam as mudanças a serem efetuadas para 2018:

Reintegração dos Emprestados (3)
Thiago Martins, Victor Luis, João Pedro

Promoções (2)
Pedro (zagueiro sub-20) e Fernando (atacante sub-20)

Negociáveis (11)
Mina (possivelmente irá para o Barcelona), Antonio Carlos, Egidio, Fabiano, Mayke, Zé Roberto (irá se aposentar), Jean, Arouca, Michel Bastos, Felipe Melo, Deyverson e Erik.

Contratações (5)
Dois laterais (um para cada lado), dois jogadores de meio campo (um de criação e outro com característica defensiva) e um atacante.

*** Números de jogos e gols atualizados até o dia 07/11/2017

simbolo-original

FORZA VERDÃO!!!

 

Anúncios
Padrão

Um comentário sobre “Elenco alviverde

  1. Josafá Rehem disse:

    Ainda que suscita, uma boa radiografia do elenco. Creio que o maior erro tenha sido o processo que nos tornou reféns do Cuca. Num momento ele “quer ” sair mas “precisa “sair (?!) no outro é o Salvador da Pátria. Esse processo arrebentou com o Eduardo Batista. De forma que a despeito das contusões e das necessidades de adaptação (caso dos gringos); o Palmeiras jamais teve um esboço de time. A concorrência que na minha opinião é benéfica numa equipe esportiva foi um outro fator que desestabilizou muitos jogadores. No mais , somos muito exigentes mesmo…..

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s