Esportes

Amigo Oliveira

Caro “Mister” Marcelo Oliveira, como anda a vida no nosso querido Verdão?

Por aqui está tudo caminhando! A alegria que você nos proporcionou no fim do ano passado ainda está viva na memória e no coração. Como esquecer aquela conquista em pouco mais de dois meses, não é mesmo?

O ano mal começou e pelo que leio e ouço por aí o pessoal está na bronca com você. Que gente mal humorada e sem paciência… Não lhes dê tanta atenção. Siga seu caminho vitorioso. Afinal, nos últimos anos é você um dos técnicos no futebol brasileiro que mais vezes chegou em finais. Além disso, estamos invictos na atual temporada!

Se me permite, gostaria de compartilhar algumas reflexões com o amigo:

– “Melhor Elenco do Brasil”: Que papo furado. Não caía nessa idiotice que inventaram por aí. Futebol só se joga com 11 em campo. Monte uma formação em que confie. Selecione aqueles em quem você acredita. O resto virá normalmente;

– “Time mais rico”: Cobre os atrasados da diretoria. O cofre deles está cheio, pelo que leio por aí. Se não correr atrás disso pelos atletas, eles não correrão por você. É uma lei sacrossanta da bola. Você sabe disso melhor do que ninguém;

– “Amigo da Onça”: Cuidado com quem está do seu lado. Tem gente aí de dentro e próxima de você que diz lhe querer bem, mas liga para jornalista todo dia fazendo sua caveira;

– “Na bicuda”: Se o time funciona no bicão, não mude. Mudar aquilo que você acredita é o começo do seu fim. O torcedor quer a vitória e o título. O resto é papo furado de  perdedor que gosta de ser “campeão moral”;

– “Variação Tática”: Uma bobagem sem tamanho. Os melhores e mais vencedores times do futebol mundial sempre foram pragmáticos. Bem definidos num padrão de jogo do começo ao fim. Mantenha o que você pensa sobre futebol. Defina o padrão e vamos que vamos. O resto é conversa de botequim;

– “Leandro Almeida”: O zagueirão que você pediu não deu liga. Ele é fraco. Você se enganou com ele. É normal na vida se enganar. É o que mais fazemos. E você teve o mérito e a hombridade de reconhecer isso publicamente de modo verdadeiro. Uma virtude. Digna de aplausos. Recordo a você que outro dia seus colegas foram exaltados por conduta similar. Você foi masssacrado. Quanta falta de coerência. O Tite barrou publicamente jogador o chamando de gordo em coletiva de imprensa e foi aplaudido. O Bauza também disse publicamente que sua preferência é por um argentino no comando de ataque ao invés de um brasileiro na cara larga. Foi glorificado como um Deus. Portanto, siga seu coração. Não compactue com a mediocridade.

– “Igrejeiro”: Abra o olho para o teu camisa 27… Ele defendeu publicamente o Leandro Almeida num programa de TV. Tenho a leve impressão que ele está mais com  ele do que com você. Se elenco se “fechar” pelo caso “Almeidinha” será a vitória da incompetência e da hipocrisia.

– “Crise”: Estão tentando criar um ambiente desfavorável para o amigo nas vésperas da estreia da  Libertadores. Mantenha o equilíbrio. Isso não interessa para ninguém, a não ser para quem não é Verdão. Vamos manter a tradição de nunca ter perdido em estreias para equipes estrangeiras na Libertadores. É nisso que temos que nos concentrar.

– “Não engrenou”: Nos anos 80, o Palmeiras começava arrassador. Ganhava 30 jogos seguidos. No final, mais um ano na fila. Perdia o fôlego na hora H. Estamos apenas no começo. Agora é hora dos ajustes. É normal e permitida a oscilação.  O importante é embalar na reta final. Ali sim que você tem que mostrar quem é quem. E já provou algumas vezes do que é capaz.

– “Paulistinha não vale nada”: Não entre nessa onda. A competição não tem nada de laboratório. É difícil e derruba técnico a rodo! É uma casa de caboclo sem tamanho. Fique atento… Lembre-se de como você chegou no Verdão… O teu xará Oliveira foi fritado num Paulistão e não durou um semestre.

– “Tranco e barranco”: No futebol mundial só dois times não vão nos trancos e barrancos: Bayern de Munique e Barcelona. Todos os demais praticam um jogo burocrático e mecânico. Com pequenos brilharecos. Não somos a exceção. Óbvio que gostaria muito que o Palmeiras atual tivesse a magia das Academias. Mas a realidade técnica do futebol brasileiro talvez nunca mais permita que isso aconteça. Uma pena. Entretanto, nem por isso, não possamos achar alegria em que ostenta essa camisa alviverde. Pelo contrário!

– “Bombeiro”: Cadê seu diretor? É curioso que quando o time está bem ele é o primeiro a aparecer. Adora fazer comercial de sócio-torcedor. Mas quando o time oscila e precisa de um apoio não vejo ele na TV ou na rádio lhe defendendo. Chame o síndico. Divida essa responsabilidade com ele também.

– “Nem Rinus Michel teria paz”: Culturalmente, o Palmeiras é um clube onde a exigência é extrema… É uma particularidade nossa. É o nosso jeito de torcer. Amando e Odiando em um segundo. Pura passionalidade. E cada um de nós é um Leonardo Da Vinci. Tem uma fórmula mágica. Uma solução para tudo. É assim há 100 anos. É uma caricatura que amamos. Quem compreender isso com sabedoria tem a chave do sucesso em nossos corações. Pode apostar. Um dia falaram assim para o grande Oswaldo Brandão: “Mestre, o seu camisa 10 é muito lento”.  Brandão respondeu:  “É lento mas resolve!”. Era o só o Ademir da Guia… Aqui é desse jeito. Nunca vai mudar. E assim somos felizes.

Por fim, apenas um pedido de um apaixonado torcedor: traga um 3 e um 10 de respeito! É apenas isso que precisamos para ser feliz.

Aí, meu amigo, ninguém segura o nosso querido PALESTRÃO!

simbolo-original

FORZA VERDÃO!!!

 

Anúncios
Padrão

2 comentários sobre “Amigo Oliveira

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s