Esportes

Trinca da esperança

A demissão de Omar Feitosa, José Carlos Brunoro e Dorival Jr. na noite dessa segunda-feira (8/12) era um processo natural de um ano trágico na vida palmeirense.

Os dois primeiros, com atraso, pecaram na condução dos rumos do departamento de futebol e ficaram aquém das expectativas. Tiveram dois anos para estruturar um trabalho dentro e fora do campo e se mostraram ineficientes em ambos.

O vestiário conturbado, a ausência nos momentos de crise, a condução – ou falta dela – nas negociações, a formatação do elenco, prioritariamente, foram algumas das falhas cometidas pela dupla Brunoro/Feitosa que os fizeram declinar de seus postos e perder a cada dia o controle da situação.

Dorival Jr., que pegou um rabo de foguete, nunca foi o nome dos sonhos de Nobre e seus pares. Assumiu em cárater emergencial e apesar de todo o seu esforço demonstrou toda a sua fragilidade ao comandar um grande clube.

A ele, pesa o fato de dar autoridade em demasia para o descomprometido Wesley, que passou a exercer liderança negativa sobre o elenco, entrando em rota de colisão com os jogadores argentinos, causando um racha e uma tensão ainda maior num grupo pressionado e fragilizado. Além do fato de demonstrar limitações táticas na reta final da competição, onde conquistou apenas 1 ponto em 18 disputados, o que poderia ter custado um novo descenso ao clube alviverde.

Soma-se a tudo uma conta política que Paulo Nobre começa a pagar. Mustafá Contursi – líder do COF e principal força política para a reeleição presidencial do mandatário – teria pedido a cabeça de quatro elementos que compõem o staff de Nobre: Omar, Brunoro, Dorival e Fernando Mello (assessor do presidente).

Nobre, obediente, cumpriu três delas visando um processo de reformulação. O cargo de Mello, o presidente resiste e tenta demover Mustafá de sua recomendação.

Além da demissão dos membros do departamento de futebol, a expectativa também fica por conta da lista de dispensa dos atletas. O primeiro a se despedir da Academia de Futebol foi o meia Bruno César, que já se despediu dos seus ex-companheiros.

Mesmo que tardio, na avaliação de boa parcela de palmeirenses, as mudanças foram acertadas e sinaliza como um vento de esperança por dias melhores na combalida auto-estima do torcedor que sonha com um time competitivo e digno das tradições esmeraldinas nos próximos anos.

simbolo-original

Anúncios
Padrão

4 comentários sobre “Trinca da esperança

  1. Weslley disse:

    Como vc pode afirmar isso sobre as 4 cabeças pedidas por Mustafa? Não q eu esteja defendendo, mas gostaria de saber de onde veio essa informação! Saudações Palestrinas!

    Weslley

    • Weslley,

      Um amigo que vive o dia a dia do Palmeiras me contou com detalhes que isso é um preço político e um pedido dele. Confio nesse amigo, que é pessoa bem relacionada e informada das coisas do nosso Palmeiras.

      Abracos e VIVA O PALESTRA!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s